domingo, 21 de maio de 2017

Felicidade é fazer o que você ama






Chega domingo, final do dia e você ouve a famosa vinheta do fantástico. Na sequência um enorme aperto no coração, uma angustia inexplicável, uma dor no estômago e uma vontade de chorar!

Sinto informar, mas você foi contemplado com uma doença que atinge grande parte da população: A “Síndrome do Fantástico”.

Com isso, trabalhar na segunda-feira passa a ser um martírio. Desde o momento que o despertador toca até o final do expediente. A hora não passa, o ponteiro do relógio não anda. "Dá meia noite, mas não dá 18:00". A qualidade do seu trabalho cai, você passa a se incomodar com as pessoas pegando no seu pé e a sua insatisfação só aumenta. E como uma bola de neve, você começa a não se comprometer com as atividades que deve cumprir e literalmente aperta a famosa tecla “F”. O Resultado é retrabalho, mais insatisfação e o sentimento de esgotamento total, amparado pela esperança da tão esperada sexta-feira. Até que novamente você ouça a vinheta do fantástico.... 

Não há nada mais prejudicial para a saúde do que infelicidade. A longo prazo os efeitos podem ser realmente sérios. Depressão, gastrite, obesidade e tantas outras doenças que começam silenciosamente. 

E aqui eu tenho uma dica para você: Não se acostume com aquilo que não traz felicidade. identifique o que falta na sua vida e parta para a ação. Seja o protagonista da sua história. 

Quando sabemos o que queremos e realizamos aquilo que faz nosso coração vibrar começamos a dar valor a cada dia não nos importando se é segunda-feira, sexta-feira ou domingo. É claro que decisões exigem planejamento, coragem e determinação. 

E foi pensando nisso que a SecGlobal desenvolveu o Experience um projeto que vai ajudar as pessoas a encontrarem as ferramentas necessárias para alcançar seus objetivos e alçar novos voos.

Com o Experience os indivíduos são convidados a vivenciar uma experiência que os levará ao sucesso potencializando de uma maneira real e única suas habilidades. O objetivo do Experience é possibilitar um lifestyle mais amplo e de realizações com garantia de sucesso. 

Ao longo do mês farei alguns posts na página do Facebook sobre o serviço, seus resultados e como irá funcionar. 

Curta nossa página e fique atento às novidades.

Um abraço e uma ótima semana,  

Simara Rodrigues 

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Olá Simara! Adoro seus textos, mas nunca comentei. Estou diariamente aqui para ler o que vc tem a dizer e sempre me acrescenta muito. Em especial, esse texto de hoje me interessou bastante. Sempre quis ser uma secretária executiva de sucesso, bem sucedida... Mas trabalho numa empresa, que não dá o mínimo valor na secretária. Me sinto desmotivada a me qualificar, pq onde trabalho não fará a menor diferença. Sempre penso em sair, procurar um lugar que a secretária executiva seja mais valorizada, mas o medo me impede de arriscar. Por essa desvalorização, sinto vontade tb de mudar totalmente de área, mas novamente a coragem me impede de mudar tudo a essa altura da vida (tenho 36 anos). Vou curtir sua página no fb, acho que me ajudará bastante. Bjos

    ResponderExcluir
  3. "Não se acostume com aquilo que não traz felicidadE", perfeita frase para o momento que estou vivendo. Trabalho em órgão público como terceirizada na área de secretariado, levantar todos os dias para ir para um local sem desafio, sem muitos aprendizados, tem sido muito difícil, o que me faz pensar da seguinte forma: Tenho que aceitar isso aqui, já que não consigo um emprego em outro local com um salário digno da categoria e por ter um filho pequeno me sinto muito mais obrigada a viver como tenho vivido. Tenho um desejo muito grande de trabalhar em um local onde eu sinta prazer de ir todos os dias, onde eu possa crescer profissionalmente e financeiramente, mas o que ouço é sempre: "tem que fazer concurso, tem que estudar pra concurso, tem que ser concursada, ppra ganhar dinheiro e se manter estável no trabalho". Ok, seria ´maravilhoso ser concursada< ganhar bem e se manter em um emprego até que a morte ou doença psicológica nos separem, pois é bem isso que vejo onde trabalho, sem contar que, concurso aqui em Brasília está se tornando barco furado, digamos assim. Eu vou fazer 30 anos e estou muito perdida, desvalorizada e triste. Espero que eu consiga mudar essa situação, mas nem sei por onde começar. Continuarei acompanhando as postagens. Bjs Simara

    ResponderExcluir