segunda-feira, 15 de maio de 2017

Cuidado com o coitadismo na hora de buscar emprego




"Me ajuda, preciso de um emprego, pois tenho filho, meu aluguel está atrasado, meu marido está desempregado, estou desesperada. Meu seguro desemprego acaba esse mês. Estou aceitando trabalhar com qualquer coisa". 


Muito cuidado com textos apelativos no momento de uma recolocação profissional. Em muitas situações só vai atrapalhar. 

É fato que todos nós temos compromissos, contas e obrigações. Mas não podemos usar isso como forma de comoção para conseguir uma vaga de emprego. Sabe por que? Porque ninguém vai indicar, recomendar ou mesmo contratar uma pessoa pelo simples fato dela precisar do emprego. 

Há muitos anos tive o grande prazer de trabalhar com um gestor que me ensinou na prática o que estou dizendo. Certa vez, tarde da noite, fui até sua mesa e disse: "Fulano, preciso de aumento. Não aguento mais pagar cheque especial'. 

Sua resposta foi rápida e precisa: "quando você me apresentar os resultados do seu trabalho e como tem sido a sua produtividade avaliarei a sua situação. Sua conta corrente não é problema meu". #tapanacara #podiaterdormidosemessa. Quase morri de vergonha. 

Depois desse episódio nunca mais precisei pedir aumento para nenhum gestor. Eu apenas apresentava meus resultados, meu comprometimento e minhas contribuições. Afinal, contra dados e fatos, não há argumento. 

Não passe uma impressão de coitadinho. Mostre posição, interesse, postura e ações positivas.

Há gestores mais conservadores que ao se deparar com essa situação de "coitadismo" simplesmente vão deletar qualquer oportunidade, por mais que sua experiência seja a ideal, você será descartado. 

Isso porque as empresas buscam profissionais de alta performance, aqueles "mão massa". Quer buscar um emprego utilizando sua rede de contatos? destaque suas competências, o seu potencial e sua capacidade para contribuir com a empresa. Isso será muito mais importante do que as suas necessidades básicas. 

Um abraço, 

Simara Rodrigues 


Nenhum comentário:

Postar um comentário