terça-feira, 5 de dezembro de 2017

A maneira como você faz uma coisa, é a maneira que você faz todas as coisas


Há uma frase do autor T. Harv Eker que gosto muito e faz todo sentido quando analiso a minha vida. "A maneira como você faz uma coisa, é a maneira que você faz todas as coisas"

Já parou para pensar sobre a maneira como tem feito as coisas em sua vida como um todo? Com quanta seriedade e profissionalismo tem atuado? Quanto tem se dedicado ao aperfeiçoamento e atualização da sua carreira? Como você se comporta no ambiente pessoal e corporativo? 

Particularmente acredito sim que como você faz algumas coisas indica a maneira como faz tudo ou grande parte das coisas em sua vida. 

Se uma pessoa é desorganizada com suas finanças, por exemplo, ela provavelmente será desorganizada com as finanças da empresa. Alguém que apresenta um trabalho acadêmico de qualquer jeito, sem planejamento ou preparado adequado, provavelmente terá a mesma postura em uma apresentação na empresa. Uma pessoa que não tem um planejamento eficiente de sua agenda pessoal, certamente não terá na vida profissional. Se uma pessoa costuma deixar tudo para a última hora na vida pessoal, certamente fará o mesmo com a carreira. Se com frequência chega atrasado em seus compromissos pessoais ou não cumpre prazos estabelecidos muito provavelmente cometerá a mesma gafe na vida profissional. Ou seja, se a vida pessoal é caótica é bem possível que o mesmo se reflita em outras esferas. 

Na década de 90 era comum ouvir no mundo corporativo pérolas como: 

"A forma como sou na vida pessoal é completamente diferente como sou na empresa" 
"Na minha casa deixo tudo desorganizado, mas no trabalho sou muito organizado" 
"pago todas as minhas contas atrasadas, mas na empresa atuo com precisão". 

Não se engane, seus hábitos e comportamentos se repetem em todas as áreas da vida e falam muito sobre quem é você. E não há problema algum em reconhecer isso, quando há o desejo de melhoria e realização. 

Em 2017 busquei trabalhar com foco em autoconhecimento e tenho percebido que quanto mais me conheço mais fácil tem sido identificar comportamentos que me distanciam e também me aproximam do meu propósito de vida. A partir dessas análises tem sido fácil criar estratégias de transformação. Desejo que esta reflexão também também faça sentido em sua vida e que a maneira como você faz uma coisa, seja a maneira como você faz todas as outras. 

Com carinho, 

Simara Rodrigues 

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

vinhos de até dois dígitos

Com certa frequência recebo mensagens de amigos e alunos solicitando sugestões de vinhos para presentear, degustar e/ou organizar reuniões e eventos. 

Trabalhando alguns anos com a organização de eventos corporativos e Institucionais tive a oportunidade de aprender e conhecer sobre o assunto, e embora num primeiro momento possa parecer futilidade ou banalidade, na prática e em certas ocasiões faz toda a diferença e tem a sua importância. 

Esta semana o Correio Braziliense publicou algumas dicas sobre o assunto e na expectativa de contribuir com meus leitores, compartilho aqui no blog. Gostei das dicas, que atendem a todos os bolsos e gostos. 

Clique sobre a imagem para ampliar


Cinco sommeliers indicam vinhos de até dois dígitos


Especialistas recomendaram, cada um, um branco, um tinto e um de livre escolha de até R$ 99*



Há quem divida os consumidores de vinho em dois grandes grupos: os que o veem apenas como uma bebida e os que o defendem como um estilo de vida. Mesmo os que estão no segundo grupo sabem que os tempos estão bicudos na economia. Por isso mesmo, consultamos cinco especialistas da cidade e pedimos a cada um que recomendasse três rótulos de até dois dígitos – um tinto, um branco e um de livre escolha.



Difícil ficar indiferente diante deles. Àqueles que podem torcer o nariz para um tempranillo de 29,90 reais, Aldrick Muggler, da Adega Brasília, tem uma resposta pronta. Vinhos de menor custo devem ser tomados pelo que são: benfeitos, descomprometidos e incomparáveis. “É perfeitamente possível encontrar excelentes rótulos nessa faixa de preço. E um dos quesitos é o lugar onde se compra. Eu tinha uma loja enorme na Asa Sul. Encontrei um ponto menor, com menos custos operacionais e fixos. Assim, barateei o produto”, explica Muggler. A estratégia deu certo. Hoje, cerca de 75% do catálogo de quase 600 rótulos que a loja ostenta sai abaixo de 99 reais.




Na World Wine BsB, os preços passeiam entre 1 mil e 29 reais. Marcos Rachelle, consultor da importadora, afirma que os vinhos que estão na última faixa de preço não têm qualidade inferior. Professor da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) por oito anos, Rachelle diz que os mais procurados no estabelecimento custam entre 40 reais e 80 reais. A maioria vem da América do Sul. “Acordos de livre comércio fazem com que vinhos do Chile e da Argentina, por exemplo, sejam comercializados mais baratos em solo brasileiro”, assegura o profissional. Mas isso não impede que aqueles com Denominação de Origem Controlado (DOC), como italianos e espanhóis, apareçam entre as sugestões.



AS ESCOLHAS DE CYRO TORRES JÚNIOR

PROPRIETÁRIO DA BRILHO WINE & BISTRÔ

À frente da loja desde 1997, quando a casa hoje situada no Gilberto Salomão ainda funcionava na Feira dos Importados, Cyro Torres Júnior é sommelier formado pela ABS nacional e passou por instituições fora do país, como na Espanha. “Tenho mais de 150 feiras do segmento no currículo e já fui às maiores do mundo: Alemanha, Itália, Portugal, Argentina e França, por exemplo”, diz. “Hoje, o aumento na concorrência impulsiona mais pessoas vendendo e empreendendo em torno da bebida”, afirma. Na lista de eleitos, dois são oriundos do Novo Mundo. “Escolhi vinhos da Europa para quebrar o paradigma de que apenas os vinhos da América do Sul têm preço mais em conta”, diz o também sócio da importadora Del Maipo, que atende somente atacadistas (lojistas, supermercadistas, restaurantes e outras empresas do ramo) na Cidade do Automóvel.





AS ESCOLHAS DE JOSÉ FILHO ANJOS
CONSULTOR DE VINHOS E GERENTE COMERCIAL NA ENOTECA DECANTER


Quando o assunto é realização profissional, existem pessoas que acreditam no destino e as que preferem “arregaçar as mangas”. José Filho Anjos carrega um misto dos dois perfis. “Estava passando em frente à loja em 2009 e vi que eles estavam contratando. Entreguei meu currículo e me chamaram para ser entregador. Com um mês já estava fazendo vendas na loja. Passei a estudar e me especializar”, relembra. Hoje, é certificado pela escola americana Internacional Sommelier Guild (ISG). Também cursou três categorias na Wine & Spirit Education Trust.





AS ESCOLHAS DE ALDRICK MUGGLER

PROPRIETÁRIO DA ADEGA BRASÍLIA 


Formado em administração, em Zurique, Aldrick Muggler mudou-se para Brasília em 2004. De lá para cá, dominou o português e decidiu dedicar-se ao vinho. Não são apenas os vários cursos que gabaritam o suíço como um exímio conhecedor da bebida de Baco. As memórias afetivas contam muitos pontos a favor do especialista. Ele aprecia o item desde pequeno. “Desde muito novo via meu pai abrir um grande vinho por dia, daqueles de guarda, com 30 anos de história. Ele colocava um pouquinho para experimentarmos. Cresci aprendendo a degustar”, comenta.





AS ESCOLHAS DE MARCOS RACHELLE


SOMMELIER, PROFESSOR E CONSULTOR DE VINHOS DA WORLD WINE BSB



Não se engane pelo jeito sereno com que ele conduz uma conversa. Enófilo e degustador de vinhos há mais de 20 anos, o especialista é um verdadeiro workaholic. Formado pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e pela Wine and Spirits Education Trust (Wset), trabalha com mais de 300 restaurantes. “O olhar e curadoria do profissional é que fazem a diferença na hora de garimpar um vinho com valor mais em conta”, diz. Recentemente, Rachelle ganhou como sócia a empresária Giuliana Ansiliero, filha de Francisco Ansiliero – conhecido por manter, no Dom Francisco, uma das maiores adegas do Brasil.





AS ESCOLHAS DE MARCELO COIMBRA


PROPRIETÁRIO DA DOC FOOD & WINE


A relação de Marcello Coimbra com a enocultura começa em 2011. Foi quando ele adquiriu a Maison des Caves, representante da Art des Caves em Brasília. Sommelier, Júlio César sempre foi – e ainda é – o braço-direito na escolha dos rótulos que compõem a adega do DOC, em funcionamento desde 2013. Tal como os outros especialistas consultados, Marcello não julga o vinho pelo preço. Prefere ser justo nas exigências. “Abaixo de R$ 99, é preciso saber o que esperar no vinho. Nesse valor, geralmente aparecem rótulos mais frutados – e igualmente excelentes. Não adianta querer uma bebida que tenha passado por 32 meses em barricas de carvalho”, diz.







Fonte:

http://sites.correioweb.com.br/app/noticia/encontro/revista/2017/10/24/interna_revista,4307/cinco-sommeliers-indicam-vinhos-de-ate-dois-digitos.shtml

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Sobre ganhos e perdas


Diariamente realizo um exercício no qual contempla responder a seguinte pergunta: Quais foram os ganhos de hoje? Geralmente as respostas são anotadas no meu diário de bordo, um caderno que carrego comigo, em que anoto este exercício e algumas reflexões e metas. Para mim, é uma forma de reconhecer e agradecer minhas conquistas e também de refletir sobre alguns aspectos da minha vida. 

Hoje, por volta das 22:30, resolvi fazer esse exercício enquanto fazia meu trajeto de volta para casa. Como estava dirigindo, não anotei. Apenas refleti. 

Pois bem. Nesta madrugada, decorrente da forte tempestade que aconteceu em Brasília, minha casa foi alagada. Era por volta de 01:00 da manhã quando ouvi um forte barulho de água descer pelas paredes do meu quarto e pelas saídas de luz, o que de repente se repetiu no banheiro e no closet. Tuuuuuudo molhado: roupas, sapatos, malas, roupa de cama, documentos, fotos... 

Em questão de minutos a água começou a expandir para os demais cômodos, jorrando toda a água para os cômodos do piso inferior. Imediatamente começamos a retirar os móveis do quarto, tentando, amenizar parte do prejuízo e em paralelo puxávamos toda a água que a esta altura já preenchia a sala e ambientes do térreo. Os cachorros ficaram agitados com todo o movimento e com a bagunça gerada. Que caos! Foi preciso solicitar apoio de amigos que em plena madrugada se solidarizaram e foram nos ajudar. Um deles subiu na laje e constatou que uma das calhas estava entupida, por isso a inundação. Vamos combinar, amigos são anjos enviados por Deus. 

Avaliar quais foram os ganhos do dia, diante de todo prejuízo material, emocional e financeiro foi um desafio. Mas ainda assim, me permiti fazer a atividade que me proponho diariamente. E aos poucos fui reconhecendo os ganhos do dia, apesar do ocorrido. 

Como dormi tarde, por volta das 04:00 da manhã, perdi o horário de trabalho. Acordei 08:00 e imediatamente enviei uma mensagem para o grupo de colegas do trabalho. E como esperava, foram muito empáticas e solidárias. Eu verdadeiramente me sinto afortunada por trabalhar com pessoas tão humanas, e isso faz muita diferença. Por volta das 09:00 já estava no trabalho. Foi um dia muito produtivo, realizei importantes entregas e finalizei os últimos detalhes de um importante projeto que acontecerá nesta semana e que envolve todos os colaboradores da empresa. No final do expediente uma colega gentilmente se reuniu com a equipe para multiplicar o conhecimento de um curso super interessante que participou e que contribuirá para as nossas atividades, mas sobretudo, para a nossa vida. Isso é um grande ganho, trabalhar com gente que gosta de gente e tem paixão pelo que faz. 

Já no 2º round, parti para a Universidade. Hoje tínhamos grupo de estudo e foi maravilhoso discutir o tema elegido com alunas tão especiais e engajadas. Na sequência, realizei reunião com o professor responsável pelas Bancas de Trabalho de Conclusão e ainda rimos um pouco ao compartilhar alguns projetos pessoais futuros que coincidentemente estamos programando. Sincronicidade pura. Na coordenação atendi alguns professores e alunos e encerrei meu dia de trabalho conversando com um aluno que admiro e que passaria horas conversando. Que dádiva é estar rodeada por pessoas que nos enriquecem com suas palavras, gestos e ações que nutrem nossos sonhos. 

Somente no trajeto me dei conta que voltar para casa significaria contabilizar parte do prejuízo, ao mesmo tempo que agradecia por ter uma funcionária tão dedicada, que enquanto eu estava fora, cuidava carinhosamente de toda a organização e logística, me mantendo informada de todos os procedimentos que estava tomando. Ufa, eu não teria que me preocupar com isso! 

Dito e feito. Cheguei em casa e a escada, agora com uma nova função - de varal - recebia algumas roupas encharcadas pela água. Não teria tido uma ideia melhor. E já com o quarto de hóspedes preparado com alguns itens pessoais, carinhosamente organizado para mim, tomei meu banho e comecei a escrever este texto. Cansada, mas feliz. Porque os ganhos foram muitos: Estou viva, eu e minha família gozamos de muita saúde, trabalho com pessoas especiais e amo tudo o que faço, o que ameniza os aborrecimentos que fazem parte do cotidiano de todos os indivíduos. 

Felicidade certamente seja isso, saber canalizar a energia e potencializar aquilo que é importante, o essencial. Eu posso ficar triste, preocupada, chateada mas também posso ressignificar esse sentimento e reconhecer que apesar de tudo, há muito o que celebrar e aqui não me coloco numa postura de "síndrome de Poliana", mas reconhecer o que é realmente importante faz toda a diferença, e é exatamente este comportamento que difere as pessoas e a forma como encaram a vida. 

É possível que leve algum tempo para que minha casa fique organizada e tudo volte ao normal, mas o mais importante é saber que estou viva, para continuar ao lado daqueles que amo e fazendo o que enche meu enche meu coração de gratidão. 

É claro que tive ganhos hoje! 

Carinho, 

Simara Rodrigues,

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Evento em Brasília: Moara On

Olá Pessoal,

Compartilho informações sobre o evento Moara On, promovido pela amiga e Secretária Executiva Marcela Brito. 

O evento terá como foco em bem-estar, beleza, identidade e carreira. 



Mentoria e Gestão de Carreira

Olá Pessoal, 

Compartilho uma ótima oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional com a coach de carreira, Andrea Brilhante. 




segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Vaga para estágio

Olá Pessoal,

Compartilho ótima oportunidade de estágio: 

IBM

O Programa de Estágio - Passaporte IBM - objetiva estimular o desenvolvimento profissional dos estudantes através de experiências práticas das áreas de negócio, para que eles adquiram novos conhecimentos e se tornem profissionais qualificados e diferenciados.

Estágio Secretariado (v1591713)

Código da vaga:v1591713
Nível hierárquico:Estágio
Local:Brasília / DF / BR
Data de expiração:10 de Novembro de 2017

Oportunidade de estágio em Secretariado na IBM.

Suporte ao time de Global Administration local de Brasila relacionado a suporte secretarial de executivos

Carga Horária: 6h

Local: Brasilia 
Perfil da Vaga: Secretariado 
Inglês Intermediário
Formação a partir de julho de 2019.

domingo, 5 de novembro de 2017

Meu diário de bordo em 2017




Novembro é um dos meus meses favoritos, em parte porque é quando começo a planejar as próximas ações e também porque é aquele momento em que começo a fazer reflexões mais profundas sobre minhas realizações e meus resultados. Embora a prática de revisar minhas metas e ações já faça parte da minha rotina de vida, novembro é simbolicamente o mês do balanço geral e do levantamento dos resultados, uma espécie de demonstrativo pessoal anual, que me mantém sempre motivada. 

Para 2017, programei algumas realizações e entre elas estava: 

Ler um livro por mês;
Desenvolver novas formas para competir no mercado de trabalho;
Participar de pelo menos dois treinamentos em 2017;
concluir meu curso de bacharel em Administração;
retornar às aulas de conversação em inglês;
Conhecer cinco novos lugares;
emagrecer 5 kg ;
Participar de corridas de rua;
Realizar uma atividade física;
Me conectar mais com meus amigos e familiares;
engajamento em projeto social;

Um dos maiores benefícios do diário de bordo é que você consegue mensurar de forma mais assertivas seus resultados e também consegue ajustar aquilo que não deu certo.

Este final de semana, analisando meu diário fiquei profundamente grata pelos resultados, o que corrobora com a máxima "Pensamento sem ação, não gera resultado". 

Então, como forma de inspirar e motivar os leitores do blog, compartilho meus resultados: 

Ler um livro por mês e Desenvolver novas formas para competir no mercado de trabalho

Em 2017 li quatorze livros, todos alinhados ao meu propósito de vida e com foco em autoconhecimento e espiritualidade. Neste mesmo ano, e a partir de algumas leituras, lancei o Experience, um produto oferecido pela minha empresa, SecGlobal cujo objetivo é ajudar pessoas que estão em busca de uma carreira baseada em realização, felicidade e sucesso. Pude, com a ajuda de uma mentoria especializada em marketing e empreendedorismo, conhecer novas ferramentas, tendências, conceitos e melhores práticas de atuação.

Participar de pelo menos dois treinamentos em 2017:
Os treinamentos e eventos superaram minhas expectativas. Participei de oito treinamentos, todos alinhados às minhas expectativas e necessidades. Em especial, os preferidos foram o Capital Empreendedora e um Curso da coach de vida, Paula Abreu. Graças aos cursos que participei, pude ampliar minha visão de mundo e me atualizar. Por isso, é tão importante dedicar tempo para educação e desenvolvimento pessoal e profissional. A gente descobre que é mandatório a busca por novos saberes.

concluir meu curso de bacharel em Administração:
Aos trampos e barrancos, assim defino a conclusão da minha 2a graduação. Foi muito difícil, sobretudo conciliar trabalho, família e projetos com a faculdade. Abdicar dos sábados e de algumas horas durante a semana foi realmente desafiador. Muitos questionaram, o porquê da 2a graduação - o que inclui a minha própria família. O primeiro motivo, foi receber uma bolsa de 100% para estudar. Não pude recusar. Fora esse aspecto, sempre gostei de estudar assuntos relacionados à administração de empresas e ter a certificação está totalmente alinhado ao meu negócio. Devo a conclusão dessa etapa ao meu grupo, que muito amavelmente sempre me encorajou a seguir em frente. 

Conhecer cinco novos lugares:
Em novembro do ano passado tracei alguns destinos para conhecer e seja qual a for a sua crença, a minha está alinhada ao poder da intenção, ou seja, pensamento gera intenção e foi exatamente assim que aconteceu e conheci, como desejado, Bélgica, Holanda, França e Espanha. Na minha escala de necessidades é muito importante conhecer novas culturas, hábitos, gastronomia e pessoas. Por isso, conhecer estes lugares, muito mais que consumo, significou conhecimento, experiência e oportunidade. 

Emagrecer 5 kg:
Emagrecer, é sempre um grande desafio, principalmente quando você é louca por doces e tem muita dificuldade para alimentar-se de forma correta, ou melhor, quando você lembra que precisa se alimentar. Consegui, com dieta e exercícios, reduzir 07 quilos e isso me deixou muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito feliz. Nada substitui o prazer de entrar novamente nas suas roupas e sentir-se saudável e disposta. Então, emagrecer, para mim, foi muito mais que estética, mas qualidade de vida. 

Participar de corridas de rua:
Participei de 4 corridas de rua e foi maravilhoso a sensação de correr 5kg. É realmente energizante praticar esta atividade. Iniciei minhas atividades físicas no início do ano, mas infelizmente, não tenho sido comprometida como eu gostaria. Por vezes sinto uma preguiça absurda e facilmente troco as atividades por algumas horas a mais de sono ou em frente ao computador. Sem dúvida, essa meta estará no topo da lista de prioridades em 2018, isso porque a prática de atividades não implica somente em manter o peso, mas está relacionado à minha espiritualidade, saúde física e mental.


Me conectar mais com meus amigos e familiares

Essa decisão foi muito importante e exigiu muita disciplina e também a prática do que aprendi com algumas leituras, principalmente com o livro Essencialismo, cujo sentido foi aprender a administrar a compulsão por querer ter, fazer e ser tudo o tempo todo. Com a leitura do livro, e com treinamentos específicos tenho aprendido a colocar todo foco e energia em ter, fazer e ser somente o que é absolutamente necessário, desejável e importante para mim. O que inclui projetos e pessoas. 


Resumidamente o livro apresenta as seguintes considerações:

Essencialismo = menos e melhor

Faz Perguntas poderosas:
Se eu puder fazer uma única coisa da minha vida agora, QUAL SERIA?
O que me apaixona profundamente?
O que aproveita melhor o meu talento?

Habilidades de um essencialista:
Escolher - em tudo, o tempo todo
Avalia mais para fazer menos (Isso é importante?)
Perder para ganhar (Em que quero investir tudo?)
Dorme para ter autodesempenho
Diz NÃO, e só diz sim ao que realmente importa
Impõe limites e tarefas
Previne e planeja com antecedência
Estabelece Rotina
Focaliza no momento Presente, o que é importante AGORA?

Retornar às aulas de conversação em inglês:

Ufa, foram muitas realizações e aprendizado. Então você deve estar se perguntando, e o inglês, como ficou? Já nos quarenta e cinco do 2o tempo consegui retomar as minhas aulas e atender à uma necessidade muito pessoal. Eu adoro falar outros idiomas e o fato de me distanciar dessa atividade, vinha me entristecendo. E isso é realmente importante para mim, então precisa ser prioridade na minha rotina. E foi o que fiz, priorizei minhas aulas duas vezes por semana e estou feliz. As vezes, tento me sabotar e penso: "Eu preciso mesmo voltar a estudar inglês, não seria melhor ir para casa?". Mas tenho sido determinada, principalmente, porque esta habilidade está muito alinhada aos meus futuros projetos.


Engajamento em projeto social 
Por fim, uma atividade que cumpri, mas não como esperava foi o engajamento em projetos sociais. Participei de alguns projetos, mas reconheço que poderia ter feito mais e melhor. Desejo que 2018 possa me dedicar mais a esta atividade. Principalmente porque é algo que me traz leveza, gera gratidão e me conecta aos meus valores e crenças.

Ao analisar minhas ações e meus resultados, fico profundamente grata e realizada. Isso porque percebo que 2017 não passou em vão. Este ano foi um ano muito especial e trouxe muitas alegrias e realizações. Aprendi a ressignificar muitos sentimentos, emoções e me conectar de forma mais expressiva ao meu propósito de vida. 

Foi um ano em que realizei grandes feitos, muitos além da minha imaginação e que superaram a minha expectativa. 

E contrariando muitos "especialistas", fiz do tempo meu maior aliado e amigo. E um artifício que também usei para avaliar cada etapa foi pensar daqui a um ano e o que desejaria ter realizado. Esse exercício sempre contribui para a tomada de decisão.

Enfim, desejo que compartilhando um pouco do meu ano possa motivar aqueles, que assim como eu, acreditam em sonhos, realização e propósito de vida. Tudo depende daquilo que você acredita, pratica e coloca a sua energia. 

Um abraço e uma ótima semana,

Simara Rodrigues


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Como foi o COINS 2017?



Entre os dias 26 e 28/10 aconteceu em São Paulo o Congresso Internacional de Secretariado - COINS, um evento que reuniu aproximadamente 600 profissionais de todo o Brasil e também de outros Países. O evento, que teve como mote "O Empoderamento do Secretariado: Protagonizando o Presente e o Futuro", proporcionou aos participantes importantes reflexões e ampliação do olhar não só para a profissão, mas também às relações humanas, que permeiam todo o nosso trabalho. Durante três dias, os participantes tiveram a oportunidade de atualizar os conhecimentos relacionados à planejamento estratégico, indicadores, interculturalidade, Pool de Secretariado, Ética, empreendedorismo entre outros temas relevantes. 



Para mim, foi uma oportunidade singular de reencontrar amigos e também conhecer profissionais que têm realizado um trabalho incrível de engajamento e empoderamento da profissão. Durantes os três dias pude conversar com centenas de pessoas, que assim como eu, acreditam na profissão e  compreendem a necessidade de melhoria contínua do saber e na forma de atuação. 

Desejo que o sentimento seja reciproco à todos os presentes e que possamos seguir construindo um mundo melhor, mais humanizado e com pessoas realizadas e felizes em suas áreas de atuação. 

E a quem possa interessar, o próximo COINS acontecerá em 2019. 

Confiram abaixo importantes momentos, que serão insumos para os futuros posts.






 abertura do evento e auditório concentrado 




 Minha querida amiga Yasmin Cardoso, que conheci da forma mais inusitada possível em 2015....Essa história vai gerar post 




 Alunos do 2º e 3º semestre do curso de Secretariado da UNIP - Lindos, engajados e motivados




 Ana Maria, uma Secretária Executiva que me inspira, por vários motivos. Vai gerar post também!




 A doce e leve Simone -  Uma grata surpresa conhece-la e acompanhar o trabalho que tem realizado em prol do secretariado.



 Palestra sobre empreendedorismo - Posteriormente vou compartilhar alguns momentos desta fala com vocês 




 Thay e Rosilene, Ex-alunas que me inspiram e deixaram saudades! 




 Um encontro épico, como bem mencionou a querida Nayara Bermudez 






Com as queridas amigas Marcela Brito e Sandra Tarallo




 Kellen Torres nos presenteando com uma agenda incrível de eventos e treinamentos para 2018 em todo o País 




 Mariana, uma simpática e gentil aluna do curso de Secretariado em SP, que me presentou com uma mensagem linda de feedback. 



 Marcela Brito encantando o público com sua fala sobre interculturalidade




 Momento de tietar Profissionais que admiro e conhecer, pessoalmente, a simpática, gentil e doce Regina  Sasaki 



 Este encontro vai gerar alguns posts.... que prazer foi conhecer pessoalmente Claudia Schaffer. Foi uma noite muito agradável e de muitas emoções 



 Uma foto que dispensa legenda...Observem a mensagem do banner e o carinho transmitido nesta imagem



 Profa. Penha e Profa. Elisangela - amigas e parceiras de trabalho  




Um grupo de pessoas que visivelmente ama o que faz!


 Sonhava conhecer esse ser humano incrível - Eugênio Mussak  - e sua mensagem de encerramento como previsto me tocou. 


 Um momento de muita gratidão foi quando Mussak fez uma citação ao Golden Circle, mencionado por mim um dia antes, em minha palestra. Farei post futuramente sobre o assunto, interessantíssimo por sinal. 




Profa. Penha e Bete D'Elia - amigas e referências



Ubirajara, Secretário Executivo apaixonado pelo que faz! 


 Profa. Rosimere Sabino, foi por muitos anos uma referência e hoje, minha mentora e amiga. É lógico que terá post sobre ela :) 



 Aquele momento em que fico tietando meus alunos :) 




 Moacir Rauber, um Ser humano incrível, que admiro e aprendo muito em cada novo encontro




         Profa. Michelle Soares - inteligente, doce, gentil, leve e minha amiga :)



 Finalmente conheci, pessoalmente, Giedra Lopes :) 



Carolina Damasceno - Um dos motivos para eu amar o que faço.  


 Um momento que dispensa legenda - Eu, Marcela Brito e Karla Mustafa



 Gratidão plena 





Amigos queridos que fazem parte da minha jornada e também terá post a respeito da minha história com Ana Paula (à direita da foto) 




Estudamos na mesma Instituição em 2003, teoricamente trabalhamos na mesma empresa e só nos conhecemos em 2014...vai gerar post essa amizade 

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

A tecnologia e o trabalho: como será essa relação no futuro?



“A tecnologia chegou para ficar e os profissionais precisarão se adaptar o quanto antes!”

A tecnologia tem mudado em muito a maneira como as pessoas vivem. 


Conversar com um familiar, ler uma notícia ou até mesmo se divertir não são feitas da mesma forma depois da inserção dela nas nossas vidas. E no ambiente de trabalho não poderia ser diferente.


Muitas profissões estão tendo que se readaptar, reorganizar e se adequarem às novas tecnologias. Definir a importância do trabalho e o seu lugar neste ambiente tecnológico é um dos principais tópicos quando se discute o futuro do trabalho.

Pesquisa realizada pela ADP, a Future of Work, entrevistou mais de 2 mil pessoas que trabalham em empresas com 250 ou mais empregados no Brasil e em países como:

Estados Unidos
Canadá
México
Chile
Reino Unido
França
Alemanha
Holanda
Austrália
China
Índia
Cingapura.

E ficou evidente que a transformação digital vai impactar tanto a maneira como os funcionários interagem quanto nas ferramentas que usam para trabalhar. Mesmo que esses recursos mudem de acordo com a região, setor ou cargo, algo é claro:

Todos precisarão se adaptar o quanto antes!

Parafusos e a tecnologia

Aposto que se você jogar no Google as palavras “linha de produção e fábrica” vão aparecer imagens de plantas lotadas de robôs e com poucas pessoas. Pois é! E essa realidade está cada vez mais presente nas indústrias. Funções repetitivas, ou até mesmo aquelas que exigem um esforço físico maior já estão sendo substituídas por robôs ou por Inteligência Artificial.

Apertar parafusos, encaixar objetos e encher frascos já não são mais funções executadas por pessoas. E isso é bom! As pessoas poderão passar a se dedicar a coisas que realmente gostam e que exigem raciocínio lógico, e não a trabalhos mecânicos. Relatórios, criações e relações de trabalho mais parecidas com nossa própria vida: é assim que será a rotina de trabalho do futuro.

É hora de sermos criativos!

Em um futuro no qual funções mecânicas, em sua maioria, serão absorvidas pela tecnologia, a criatividade será cada vez mais demandada. Incentivar ideias inovadoras, organizar reuniões de brainstorm e focar em conteúdos que exigem raciocínio lógico serão a chave para motivar a equipe e atingir resultados.

É fato: a tecnologia é uma importante ferramenta. Aproxima quem está longe por meio de aplicativos de celular, moderniza o transporte e evolui as pesquisas na área da saúde. Mas quando o assunto é trabalho ela pode assustar. Vamos perder empregos? Seremos substituídos por máquinas?

O importante é ter em mente que a Inteligência Artificial está aqui para nos auxiliar, e o principal, ela nunca vai substituir nossa criatividade. Os computadores apenas detectam erros e cabe a nós tirar desses erros saídas para outros caminhos.


Fonte:

https://www.blog.adp.com.br/tecnologia-trabalho/

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Conheça o Secretariado com Simone

Embora tenha uma rotina bem dinâmica, sempre reservo um tempo para navegar na Internet, com a expectativa de conhecer melhores práticas, conceitos, tendências e sobretudo PESSOAS. Pois é é quando concentramos a nossa energia naquilo que nos inspira e motiva que temos a oportunidade de nos desenvolver e caminhar de acordo com o nosso propósito. 

E foi assim que cheguei até o Secretariado com Simone.

Particularmente estou encantada com o conteúdo e material compartilhado pela Simone. A leveza com que conduz os temas e seus posts em suas redes sociais me inspiram e motivam.

Espero que o conteúdo possa agregar valor aos leitores do Secretariar é uma arte, na mesma proporção com que tem agregado a mim. 


Com Carinho, 


Simara Rodrigues 


“Networking e Propósito

Por Simone:

Como você sabe, o Secretariado com Simone esteve na CONASEC 2017 e, conforme prometido, estou trazendo para você no artigo desta semana uma curadoria do que foram para mim alguns dos melhores insights, aprendizados e experiências deste evento, realizado em São Paulo, no dia 6 de outubro.

Além da oportunidade incrível de participar deste evento enriquecedor que abordou temas relevantes, atuais e pertinentes para a nossa profissão e carreira, foi um enorme presente conhecer pessoalmente muitos integrantes da nossa comunidade de secretariandos! Abraçar, tirar fotos, bater papo, trocar figurinhas, almoçar e tomar cafezinho com gente querida com quem troco e-mails e converso nas mídias sociais foi muito energizante e gratificante, além de reencontrar colegas queridos! minha eterna gratidão à Minder e à Stefi Maerker pela oportunidade de estar presente neste evento!

Pois é, eu já comecei o artigo indo direto ao ponto, compartilhando com você uma das melhores coisas deste evento: networking e propósito, que foi inclusive o tema de uma das palestras ministradas.

Fernando Maskobi, Diretor Financeiro do Walmart e-Commerce nos mostrou que precisamos ressignificar o networking para que ele tenha real valor, construindo relações com propósito, para ter conexões valiosas. Como ele disse, “o networking deve vir de um lugar sincero, o networking falso nao cabe mais na minha agenda”. Pois eu digo que na minha agenda também já não cabe mais. E na sua? Em minhas experiências profissionais nos últimos anos eu tenho investido em relacionamentos verdadeiros, em parceria e colaboração genuínos, e isso me rendeu frutos maravilhosos!

Mas o que isso quer dizer? É simples: estamos falando aqui da diferença entre construir relações verdadeiras, que são baseadas na confiança, no propósito e na verdade, versus construir relações falsas, do “tradicional networking”, baseadas no medo, na angústia e na mentira.

“Your vibe sets your tribe”

A sua “vibração” determina a sua tribo. Sim, este foi outro insight valioso desta palestra. Qual frequência emitimos para o mundo? Quando Maskobi perguntou “o mundo corporativo te parece um caos?”, muitos que estavam na sala disseram que sim. E a resposta veio cortante: “nós somos o mundo corporativo – ele é o NOSSO REFLEXO!”. Sim, o caos está em nós mesmos. 

Aqui no Secretariado com Simone nós já conversamos várias vezes sobre a importância da colaboração e da vulnerabilidade como forma de trabalhar o nosso desenvolvimento pessoal, profissional e atingir melhores resultados (aliás, se você ainda não viu, dê uma olhada aqui. Então você deve imaginar como eu fiquei feliz ao escutar uma mensagem que reforça esta lição que eu aprendi ao longo da minha carreira profissional! Quando mostramos a nossa vulnerabilidade, geramos empatia e conexão com gestores e colegas – conexão de verdade, que constrói relacionamentos verdadeiros!

“Ah, Simone! Isso nao existe no mundo real!”. E se eu te disser que precisamos ponderar e perceber o impacto que podemos causar na vida dos outros? E se nos esforçarmos para fazê-lo de forma positiva e consciente? Investir o nosso tempo para nos doarmos no networking – doar o nosso tempo, nossos recursos, nosso discurso e experiência – de forma a não apenas o usar o networking como uma “fonte de onde sugamos o que precisamos”, mas como um espaço onde podemos contribuir, construir e, finalmente, co-criar!

Isso não é uma tarefa difícil, é leve, fácil, é possível! E o melhor: pode ser retroalimentado. A mudança começa em cada um de nós! Uma atitude genuína minha e sua, que agregue valor para alguém do nosso convívio profissional, pode gerar uma onda positiva que colaborará para que o networking de propósito seja cada vez mais praticado e tido como valioso. Falando assim já não parece mais tão utópico, não é mesmo? 

Que sejamos cada dia mais motivados a construir uma rede onde o suporte, a abundância, a aceitação, a inclusão e a liberdade de ser sejam valorizados. Eu já tive a oportunidade de trabalhar em lugares onde as relações de trabalho eram baseadas no medo, no individual e no julgamento, e posso afirmar que foram os piores ambientes onde já estive; nos quais a criatividade, as boas relações e até mesmo a tradicionalíssima e tão almejada produtividade eram prejudicadas e podadas. É um jogo onde ninguém ganha.

Para finalizar, deixo aqui uma citação também usada na palestra do Maskobi para a nossa reflexão: “a felicidade pode ser mensurada pela qualidade das nossas relações”. Quantas horas da sua vida você passa no trabalho? Será que vale a pena o esforço? Eu estou dentro! Posso contar com você?


Fonte: 

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Qual é a imagem você quer passar?

Esta semana participei da Semana Acadêmica de Secretariado do UniProjeção, a convite da amiga, professora, coordenadora e Secretária Executiva Michelle Soares. Foi uma noite muito especial, na qual tive a imensa oportunidade de rever amigos, conhecer pessoalmente pessoas que me comunico pelas redes sociais e compartilhar um pouco das minhas percepções sobre um assunto que faz parte da minha rotina: Etiqueta Empresarial. 

Penso que etiqueta vai muito além das aparências, rótulos e regras engessadas, que não se aplicam em todos os contextos. É verdade que há regras básicas de convivência a serem respeitadas, e falamos sobre elas durante a noite. 

Em um determinado momento, minha fala seguiu para a questão da imagem, e duas perguntas centrais das minhas mentorias e palestras sobre o assunto é: Qual a imagem você quer passar? Sua imagem está alinhada ao seu objetivo de carreira? Essas respostas contribuem para a condução dos trabalhos que realizo. E Por quê acho tão importante este assunto? 

Percebo, com frequência, profissionais, não apenas da área de secretariado, ditando regras: 

"Se quiser passar em um processo seletivo você deve usar calça preta, camisa branca, sapato preto de bico fino, unhas claras......

"Se quiser ser bem sucedido precisa investir em peças caras e de luxo"

"Se quiser ser respeitado no ambiente de trabalho precisa usar terninho preto, meia calça fio 15, cabelo preso"......

Tudo bla bla bla.

Rótulos são para produtos e não para pessoas! 

Tenho aprendido, ao longo da minha trajetória, que quanto mais autêntica, respeitosa e amável eu for e estiver alinhada aos meus valores, ao meu propósito e missão de vida, mais próxima eu estarei da minha felicidade. 

Por isso, a pergunta que deve permear este assunto é: Qual é a imagem que você quer passar! 

Isso porque, mais importante que comprar uma ideia pronta sobre imagem é buscar o autoconhecimento e os caminhos para a autorrealização. Descobrir-se já é um trabalho e tanto. 

Por isso, aprender a ter um olhar crítico sobre nós, nossas potencialidades e nossos pontos de melhorais é o ponto de partida. 

O resto é puro marketing! 

#prapensar

Com carinho, 

Simara Rodrigues 




Um dos presentes de Deus em minha vida - Profa. Michelle Soares 

Profa. Eliane Wanser - Pura Inspiração