terça-feira, 24 de maio de 2016

Você não precisa ser a mulher maravilha



Sempre tive pavor de não ser reconhecida pelo meu trabalho e dedicação, o que me tornou um verdadeiro "trator" - termo que ouço com mais frequência do que gostaria. Nesse sentido, não é difícil ouvir as pessoas perguntarem: "Como é que você consegue dar conta de tudo?".


Este questionamento por muito tempo me fez sentir grande orgulho. Uau, eu realmente sou uma pessoa comprometida com meu trabalho", mas hoje me dá vontade de chorar. 

De uns tempos para cá algo tem mudado e aquilo que era endorfina pura já não ocupa o mesmo espaço, principalmente porque começou a agredir minha saúde física e mental. Na verdade, tenho compreendido que não tenho que ser a mulher maravilha. Até porque, se bem pensarmos, a mulher maravilha apesar de resolver todos problemas e "dar conta de tudo" não têm filhos, relacionamentos, casa, família, animais de estimação, amigos e vida social. Não fica gripada, não faz progressiva, luzes, retoque de raiz, dieta, depilação e ainda encontra tempo para ir ao mercado. É realmente uma vida resumida a resolver problemas e ter controle de tudo. 

Outro dia um amigo, com apenas 35 anos, teve um AVC e o diagnostico foi stress enquanto outra amiga pediu demissão, largou tudo, colocou uma mochila nas costas e foi viver um ano sabático na Ásia, antes que tivesse um AVC. 

Acho pouco provável que com o meu perfil eu simplesmente largue tudo e vá viver um ano sabático. Digo isso, porque gosto de trabalhar, mas há um detalhe: precisa ter realização pessoal, porque parafraseando Nelson Rodrigues "Sem paixão não dá para chupar nem um picolé". 

E como ter realização pessoal com tanta sobrecarga? 


Tenho refletivo, e muito, que sucesso e realização não estão ligados diretamente a quantidade de horas ou acumulo de tarefas. Realização profissional precisa, caminhar com realização pessoal. E não adianta acharmos que somos super heróis, porque não somos e mais ainda, nós não precisamos ser 100% em tudo, precisamos sim ESTAR 100% envolvidos,  ainda que em múltiplas tarefas. 


A sútil diferença daqueles que fazem muito e têm a sensação de não terem feito nada é exatamente essa. Não há equilíbrio. Tornam-se resolvedores de problemas, tendo o ledo engano de achar que "só mais esse probleminha e tudo ficará bem". Não ficará, porque outros problemas surgirão. E de repente nos deparamos nadando, nadando e morrendo na praia, exaustos e diante de um caos gerado por nós. 

Portanto, abandonar hábitos que prejudicam nossa qualidade de vida, rever comportamentos, prioridades e relações, cuidar do corpo e do espírito podem contribuir para uma vida plena. É claro que uma mudança de hábitos não acontece da noite para o dia, mas sem dúvida é mais fácil que tentar ser a mulher maravilha, que sinceramente, não vale a pena. 

2016 está só começando. Ainda está em tempo de rever hábitos, prioridades, postura e principalmente aquilo que não acrescenta. O desafio, portanto, é compreender o que realmente nos faz feliz. 

Simara Rodrigues


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Líderes que inspiram




Se eu pudesse dar um conselho aos Gestores eu diria: Trate bem o seu colaborador. Estimule, encoraje, respeite, inspire e valorize o maior ativo da sua empresa. 


Ao longo da minha trajetória tive o privilégio de trabalhar com gestores incríveis, fora da curva. Mas também tive o dessabor de trabalhar com gestores "míopes" e despreparados. 

Costumo classificar esta miopia a partir de alguns comportamentos: O gestor que acredita ser perfeito - sem necessidade de melhorias - resistente à mudanças e feedback - sim porque nós também avaliamos nossos gestores numa avaliação de 360º, dono da verdade, prepotente, arrogante e demagogo. 

Certa vez, assessorei um Executivo incapaz de reconhecer os talentos de sua equipe. Tudo era ruim e nada o agradava. Uma simples tarefa era um suplício porque já sabíamos que algo não atenderia a sua expectativa e lógico, haveria uma reclamação acompanhada de uma piadinha sarcástica e de mal gosto. Não recebíamos reconhecimento por absolutamente nada, ainda que certa atividade demandasse verdadeiro malabarismo para a conclusão. 

Resultado: As pessoas eram desmotivadas e se anulavam até decidir pela mudança de área ou mesmo de empresa. Trabalhar com ele era um verdadeiro martírio. 

O que gestores precisam compreender é que eles são influenciadores diretos na motivação de seus funcionários, são verdadeiros conectores. Portanto, é seu papel assumir a responsabilidade de estimular as capacidades de seus liderados, sendo um exemplo para aqueles que estão ao seu lado. Com isso, seu papel é fundamental para que o time sinta-se parte integrante do negócio.

Logo, o gestor precisa entender o que motiva o empregado, ouvi-lo e, evidentemente, saber como se comunicar com sua equipe. Engana-se o gestor que acredita que sozinho alcançará o sucesso.

Lembro-me de um gestor que vez ou outra me chamava em sua mesa e dizia: "Simara, o que os colaboradores falam de mim. Seja sincera". Nossa relação era de profunda lealdade e confiança, por isso, sentia-me á vontade para esse feedback. 

Ele acreditava que profissionais engajados, permaneceriam ao lado dele, mesmo em momentos de crise e, mais que isso, tornavam-se protagonistas do seu sucesso. Resultado: era maravilhoso trabalhar com ele. Que apesar de aberto para essa comunicação era exigente e rigoroso, ao mesmo tempo que justo.

As empresas devem reconhecer seus funcionários como parceiros do negócio. Não esquecendo jamais que bons profissionais querem caminhar ao lado de bons gestores.

Um abraço, 

Simara Rodrigues 

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Vem aí o VI Encontro do Comitê de Secretariado Executivo do DF




A falta de organização no ambiente de trabalho pode afetar negativamente o desempenho profissional. Dependendo da forma que o indivíduo se organiza a simples tarefa de registrar uma anotação pode demandar muito tempo e gerar estresse. Sendo assim, a organização é peça-chave para uma maior produtividade, e manter em ordem todos os objetos, informações e materiais utilizados nas rotinas de trabalho podem falar muito sobre você.  

Por mais banal que pareça, a organização do ambiente de trabalho pode garantir eficácia, otimização de tarefas e sobretudo passar uma imagem de confiabilidade. 

Foi pensando nesses aspectos que o Comitê de Secretariado Executivo do DF está organizando o próximo evento do ano.

Reserva sua agenda e venha conhecer técnicas e os benefícios dessa valiosa habilidade. 

Abraços, 

Simara Rodrigues 

Vaga para estágio na CNI

Em minha opinião, a CNI é uma excelente oportunidade de aprendizado e crescimento profissional.

Vale, sem dúvida, a pena!





sexta-feira, 13 de maio de 2016

Vagas para a área de Secretariado em Brasília



Grande Instituição de ensino busca profissionais para atuar em um grande evento esportivo

Supervisor de Secretaria - Temporário (v1344172)

Código da vaga: v1344172
Nível hierárquico:Supervisão/Coordenação
Local:Brasília / DF / BR
Quantidade de vagas:2
- Experiência com gestão de pessoas;
- Organização de escalas;
- Manutenção do ambiente de trabalho;
- Coordenação das atividades, responsável por delegar e passar instruções para a equipe;
- Disponibilidade para viagens;
- Disponibilidade de horário


Fonte : https://www.vagas.com.br/vagas-de-secretariado-em-brasilia


PAR Corretora de Seguros


Uma das mais sólidas corretoras de seguros do mercado, com mais de quatro décadas de experiência e presença em todo o território nacional. Atua como unidade de distribuição da Caixa Seguradora, comercializando soluções de seguros pessoais e empresariais por meio de uma estrutura de vendas especializada nas agências da CAIXA, centrais web chat e de call center com atendimentos ativos e receptivos. As unidades de Saúde e Riscos Especiais oferecem soluções customizadas, garantindo a melhor prestação de serviços em seguros para proteção de empresas, operações diferenciadas e contam com estrutura especializada de consultores empresariais e corretores parceiros que atuam no segmento de pessoa jurídica.

Secretária (v1337128)

Código da vaga: v1337128
Nível hierárquico: Júnior/Trainee
Local:Brasília / DF / BR
Quantidade de vagas:1
Requisitos:
- Superior Completo
- Experiência com secretariado

Atividades:

- Elaborar e controlar a agenda diária de compromissos da Diretoria Executiva e dar apoio para sua realização.
- Elaborar agendas de viagens visando melhor rota, custo e tempo para que os Diretores possam cumprir seus compromissos.
- Organizar reuniões, eventos e palestras mediante agenda ou solicitação, providenciando toda estrutura necessária para realização dos eventos.
- Organizar e recepcionar visitantes quando solicitado (transporte, hotel, sala de reuniões, motorista, apresentações e refeição).
- Preparar documentos, responder correspondências e ligações telefônicas, elaborar rascunho de cartas, mensagens eletrônicas e documentos oficiais da empresa empregando vocabulário adequado.
- Assessorar executivos na realização de atividades relativas à digitação de documentos em geral, reembolsos de viagem, prestação de contas em geral, transmissão de fax e outros.

Benefícios: Vale-transporte + Auxílio Refeição + Cesta básica + Plano de saúde + Seguro de vida + Auxílio Creche + Participação nos Lucros + Auxílio 


Fonte: 

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Arrisque tudo




Quem me conhece sabe que acredito num universo de oportunidades e possibilidades e sobretudo que somos aquilo que acreditamos ser. Nós possuímos aquilo que desejamos - seja material ou espiritual. Enfim, nós somos a soma das nossas crenças. Se você acredita que é...então você é!


Há alguns anos tenho tido inquietações transformadoras. Daquelas que te fazem acordar no meio da noite e anotar num caderninho o próximo passo, o próximo desafio. A mesma inquietação que me pergunta, incansavelmente, "E por que não?". 

E é claro que não foi por acaso que recebi a mensagem abaixo de uma amiga, a partir de uma despretensiosa conversa numa ensolarada tarde de quarta-feira. 


"Sobre o que conversamos ontem..."

Arrisque tudo
A vida exige enorme coragem.
Os covardes apenas existem, eles não vivem, porque toda a vida deles é orientada pelo medo.

Eles vivem em um tipo de paranoia, eles têm medo de tudo e não apenas de coisas reais, eles temem coisas irreais também – medo do inferno, de fantasmas.

Apesar de todos os medos, temos que começar a viver. E por que é preciso coragem para viver?

Porque a vida é insegurança.

Se você fica preocupado demais com proteção, segurança, você permanecerá confinado a um pequeno cantinho, quase que em uma prisão, construída por você mesmo.

Será seguro, mas não será vivo – não terá aventura, êxtase.

A vida consiste em explorar, entrar no desconhecido, alcançar as estrelas.

Não sacrifique sua vida por pequenas coisas – dinheiro, segurança – nada disso tem valor.

Cada um deve viver sua vida tão totalmente quanto possível - somente então surge a alegria.

Aqueles que realmente desejam viver, tem que correr riscos, tem que se mover sempre no desconhecido e aprender uma das lições mais fundamentais da vida: que não existe lar, que a vida é uma peregrinação – sem começo, sem fim.

A vida é um movimento constante, nunca chega a qualquer fim – é por isso que a vida é eterna e nosso aprendizado constante. 

O único alimento da vida é o risco; quanto mais você arrisca, mais você está vivo. E uma vez que você compreenda isso, não por desespero, não por impotência, mas por uma consciência meditativa, você fica entusiasmado pela absoluta beleza dessa possibilidade.

Osho.


Vida pessoal e profissional caminham juntas





Em tempos de ânimos exaltados, considerando o cenário político e econômico do País, vale  lembrar que nossa conduta pessoal pode refletir na vida profissional. Portanto, é sempre válido lembrar que bom senso, respeito e educação cabem em qualquer situação. 


Sua a conduta na vida pessoal pode interferir na sua carreira

Muito se fala sobre a separação da vida pessoal com a profissional, mas até que ponto a conduta que você adota em uma área da sua vida pode interferir na outra? Esse é um questionamento importante porque muitas vezes fazemos uma confusão entre o comportamento que devemos ter em ambiente profissional e a forma como conduzimos a nossa vida particular.

De forma geral, costumamos adotar um tratamento de formalidade maior com nossos chefes do que tratamos nossos amigos e familiares, pois acreditamos que seja o suficiente para garantir a lisura ao longo da carreira, mas a realidade não é bem assim. Se engana muito quem pensa que a má conduta na vida pessoal não pode atingir a carreira.

Repercussões Negativas

Há pouco tempo atrás nós tivemos um exemplo claro disso com a repercussão do triste dia em que uma torcedora do Grêmio foi filmada em um estádio de futebol usando xingamentos racistas para agredir o goleiro Aranha. Além de toda a comoção que o episódio gerou tanto na imprensa quanto nas redes sociais, ela acabou sendo afastada do trabalho. Conforme relatado no jornal Zero Hora, o chefe da torcedora reconheceu a competência dela no trabalho, mas justificou o afastamento alegando que a conduta adotada por ela não condizia com os princípios de trabalho da instituição.

No mesmo sentido, um outro escândalo recente acabou prejudicando a carreira do CEO de uma gigante da indústria alimentícia americana. Desmond Hague, que estava à frente da companhia Centerplate desde 2009, perdeu o cargo após a divulgação de um vídeo em que aparece maltratando um cachorro dentro de um elevador. O fato aconteceu em um prédio de Vancouver, no Canadá, e as imagens foram captadas pelo circuito de segurança. Não foi preciso muito tempo para o vídeo viralizar.

A Centerplate é responsável pela venda de comida em vários estádios de futebol americano e a reação do público foi imediata, dentro e fora dos Estados Unidos. Em Vancouver, por exemplo, em protesto em função do episódio, parte dos torcedores alegou que não compraria comida da Centerplate e chegou a pressionar um estádio local para cancelar o contrato com a companhia.

Inicialmente, o CEO publicou uma nota pedindo desculpas pelo fato envolvendo o cachorro. Aceitou ainda doar US$ 100 mil para uma instituição que ajuda animais, além de 1000 horas (pouco mais de 40 dias) de serviço comunitário em uma instituição em uma agência de proteção aos animais. A manifestação de arrependimento, no entanto, não foi suficiente.

Com a repercussão negativa do fato e o temor de que a postura de Hagues pudesse prejudicar os negócios da Centerplate, a saída do CEO foi inevitável.

Aprendendo com os erros alheios

Não há como dissociar a boa e a má conduta de uma pessoa entre o ambiente da vida privada e da vida profissional. O cuidado com o caráter e com os princípios deve ter constância, independente do local em que estivermos, sendo assim, os exemplos citados acima nos deixam esta lição.

É possível que você conheça situações em que alguém tenha prejudicado a carreira por apresentar algum tipo de comportamento ruim, mesmo fora do ambiente de trabalho. Sendo assim, não é preciso cometer o mesmo erro para aprender a lição, correto? O caráter bem cuidado consequentemente vai refletir em uma imagem positiva.

Afinal, quem planta o bem, acaba colhendo bons frutos. Quem adota posturas positivas dentro e fora do ambiente de trabalho, só pode esperar o melhor!


Fonte: 

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Secretariado Executivo

Em sala de aula estamos trabalhando um conhecimento que entendo como básico para quem deseja atuar na área de Secretariado Executivo. 


As Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Secretariado Executivo são uma importante fonte de conhecimento pois é a partir de tais diretrizes que empresas e Profissionais têm a oportunidade de perceber o quão relevante e indispensável é a atuação do Profissional de Secretariado Executivo em qualquer segmento. 

Conheça as diretrizes e quando alguém, sem noção, perguntar "o que faz um secretário", você terá a resposta na ponta da língua. 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR 


RESOLUÇÃO Nº 3, DE 23 DE JUNHO DE 2005


Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Secretariado Executivo e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, no uso de suas atribuições legais, com fundamento no art. 9º, § 2º, alínea “c”, da Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961, com a redação dada pela Lei nº 9.131, de 25 de novembro de 1995, tendo em vista as diretrizes e os princípios fixados pelos Pareceres CES/CNE 776/97 e 583/2001 e considerando o que consta dos Pareceres CES/CNE 67/2003 e 102/2004, homologados pelo Senhor Ministro de Estado da Educação, respectivamente, em 2/6/2003 e 12/4/2004, resolve: 

Art. 1º A presente resolução institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Secretariado Executivo, bacharelado, a serem observadas pelas Instituições de Ensino Superior em sua organização curricular. 

Art. 2º A organização do curso de graduação em Secretariado Executivo, observadas as Diretrizes Curriculares Nacionais e os pareceres desta Câmara, indicará claramente os componentes curriculares, abrangendo o perfil do formando, as competências e habilidades, os conteúdos curriculares e a duração do curso, o regime de oferta, as atividades complementares, o sistema de avaliação, o estágio curricular supervisionado e o trabalho de curso ou de graduação, ambos como componentes opcionais da instituição, sem prejuízo de outros aspectos que tornem consistente o projeto pedagógico. 

§ 1º O projeto pedagógico do curso, além da clara concepção do curso de graduação em Secretariado Executivo, com suas peculiaridades, seu currículo pleno e sua operacionalização, abrangerá, sem prejuízo de outros, os seguintes elementos estruturais: 

I - objetivos gerais do curso, contextualizados em relação às suas inserções institucional, política, geográfica e social; 

II - condições objetivas de oferta e a vocação do curso; 

III - cargas horárias das atividades didáticas e da integralização do curso; 

IV - formas de realização da interdisciplinaridade;

V - modos de integração entre teoria e prática; 

VI - formas de avaliação do ensino e da aprendizagem; 

VII - modos da integração entre graduação e pós-graduação, quando houver; 

VIII - incentivo à pesquisa, como necessário prolongamento da atividade de ensino e como instrumento para a iniciação científica; 

IX - concepção e composição das atividades de estágio curricular supervisionado, suas diferentes formas e condições de realização, observado o respectivo regulamento; 

X - concepção e composição das atividades complementares. 


§ 2º Os projetos pedagógicos do curso de graduação em Secretariado Executivo poderão admitir linhas de formação específicas, nas diversas áreas relacionadas com atividades gerenciais, de assessoramento, de empreendedorismo e de consultoria, contidas no exercício das funções de Secretário Executivo, para melhor atender às necessidades do perfil profissiográfico que o mercado ou a região exigirem. 

Art. 3º O curso de graduação em Secretariado Executivo deve ensejar, como perfil desejado do formando, capacitação e aptidão para compreender as questões que envolvam sólidos domínios científicos, acadêmicos, tecnológicos e estratégicos, específicos de seu campo de atuação, assegurando eficaz desempenho de múltiplas funções de acordo com as especificidades de cada organização, gerenciando com sensibilidade, competência e discrição o fluxo de informações e comunicações internas e externas. 

Parágrafo único. O bacharel em Secretariado Executivo deve apresentar sólida formação geral e humanística, com capacidade de análise, interpretação e articulação de conceitos e realidades inerentes à administração pública e privada, ser apto para o domínio em outros ramos do saber, desenvolvendo postura reflexiva e crítica que fomente a capacidade de gerir e administrar processos e pessoas, com observância dos níveis graduais de tomada de decisão, bem como capaz para atuar nos níveis de comportamento microorganizacional, mesoorganizacional e macroorganizacional.

Art. 4º O curso de graduação em Secretariado Executivo deve possibilitar a formação profissional que revele, pelo menos, as seguintes competências e habilidades: 

I - capacidade de articulação de acordo com os níveis de competências fixadas pelas organizações; 

II - visão generalista da organização e das peculiares relações hierárquicas e inter-setoriais; 

III - exercício de funções gerenciais, com sólido domínio sobre planejamento, organização, controle e direção; 

IV - utilização do raciocínio lógico, critico e analítico, operando com valores e estabelecendo relações formais e causais entre fenômenos e situações organizacionais; 

V - habilidade de lidar com modelos inovadores de gestão; 

VI - domínio dos recursos de expressão e de comunicação compatíveis com o exercício profissional, inclusive nos processos de negociação e nas comunicações interpessoais ou inter-grupais; 

VII - receptividade e liderança para o trabalho em equipe, na busca da sinergia; 

VIII - adoção de meios alternativos relacionados com a melhoria da qualidade e da produtividade dos serviços, identificando necessidades e equacionando soluções;

IX - gerenciamento de informações, assegurando uniformidade e referencial para diferentes usuários; 

X - gestão e assessoria administrativa com base em objetivos e metas departamentais e empresariais; 

XI - capacidade de maximização e otimização dos recursos tecnológicos; 

XII - eficaz utilização de técnicas secretariais, com renovadas tecnologias, imprimindo segurança, credibilidade e fidelidade no fluxo de informações; e 

XIII - iniciativa, criatividade, determinação, vontade de aprender, abertura às mudanças, consciência das implicações e responsabilidades éticas do seu exercício profissional. 

Art. 5º Os cursos de graduação em Secretariado Executivo deverão contemplar, em seus projetos pedagógicos e em sua organização curricular, os seguintes campos interligados de formação: 

I - Conteúdos básicos: estudos relacionados com as ciências sociais, com as ciências jurídicas, com as ciências econômicas e com as ciências da comunicação e da informação; 

II - Conteúdos específicos: estudos das técnicas secretariais, da gestão secretarial, da administração e planejamento estratégico nas organizações públicas e privadas, de organização e métodos, de psicologia empresarial, de ética geral e profissional, além do domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira e do aprofundamento da língua nacional; 

III - Conteúdos teórico-práticos: laboratórios informatizados, com as diversas interligações em rede, estágio curricular supervisionado e atividades complementares, especialmente a abordagem teórico-prática dos sistemas de comunicação, com ênfase em softwares e aplicativos. 


Art. 6º A organização curricular do curso de graduação em Secretariado Executivo estabelecerá expressamente as condições para a sua efetiva conclusão e integralização curricular, de acordo com os seguintes regimes acadêmicos que as instituições de ensino superior adotarem: regime seriado anual; regime seriado semestral; sistema de créditos com matrícula por disciplina ou por módulos acadêmicos, observada a pré-requisitação, que vier a ser estabelecida no currículo, atendido o disposto nesta resolução. 

Art. 7º O estágio supervisionado é um componente curricular obrigatório, indispensável à consolidação dos desempenhos profissionais desejados inerentes ao perfil do formando, devendo cada instituição, por seu colegiado superior acadêmico, aprovar o correspondente regulamento, com suas diferentes modalidades de operacionalização. 

§ 1º O estágio de que trata este artigo poderá ser realizado na própria instituição, mediante laboratórios que congreguem as diversas ordens práticas correspondentes às diferentes concepções das funções e técnicas secretariais. 

§ 2º As atividades de estágio poderão ser reprogramadas e reorientadas de acordo com os resultados teórico-práticos gradualmente revelados pelo aluno, até que os responsáveis pelo acompanhamento, supervisão e avaliação do estágio curricular possam considerá-lo concluído, resguardando, como padrão de qualidade, os domínios indispensáveis ao exercício da profissão. 

§ 3º O regulamento do estágio de que trata este artigo, aprovada pelo seu colegiado superior acadêmico, conterá, obrigatoriamente, critérios, procedimentos e mecanismos de avaliação, observado o disposto no parágrafo precedente.

Art. 8º As atividades complementares são componentes curriculares que possibilitam o reconhecimento, por avaliação, de habilidades, conhecimentos e competências do aluno, inclusive adquiridas fora do ambiente escolar, abrangendo a prática de estudos e atividades independentes, transversais, opcionais, de interdisciplinaridade, especialmente nas relações com o mundo do trabalho, com as peculiaridades das organizações e com as ações de extensão junto à comunidade. 

Parágrafo único. As atividades complementares se constituem componentes curriculares enriquecedores e implementadores do próprio perfil do formando, sem que se confundam com estágio curricular supervisionado. 

Art. 9º As instituições de ensino superior deverão adotar formas específicas e alternativas de avaliação, internas e externas, sistemáticas, envolvendo todos quantos se contenham no processo do curso, observados os aspectos considerados fundamentais para a identificação do perfil do formando. Parágrafo único. Os planos de ensino, a serem fornecidos aos alunos antes do início do período letivo, deverão conter, além dos conteúdos e das atividades, a metodologia do processo de ensino-aprendizagem, os critérios de avaliação a que serão submetidos e a bibliografia básica. 

Art. 10. O Trabalho de Conclusão de Curso – TCC é um componente curricular opcional da instituição que, se for adotado, poderá ser desenvolvido nas modalidades de monografia, projeto de iniciação científica ou projetos de atividades centrados em áreas teórico-práticas e de formação profissional relacionadas com o curso, na forma disposta em regulamento próprio. Parágrafo único. Optando a instituição por incluir no currículo do curso de graduação em Secretariado Executivo Trabalho de Conclusão de Curso – TCC, nas modalidades referidas no caput deste artigo, deverá emitir regulamentação própria, aprovada pelo seu Conselho Superior Acadêmico, contendo, obrigatoriamente, critérios, procedimentos e mecanismos de avaliação, além das diretrizes técnicas relacionadas com a sua elaboração. 

Art. 11. A duração do curso de graduação em Secretariado Executivo será estabelecida em Resolução específica da Câmara de Educação Superior.

Art. 12. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.


EDSON DE OLIVEIRA NUNES 
Presidente da Câmara de Educação Superior

segunda-feira, 9 de maio de 2016

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Profissional de Alta performance


Este ano coloquei em ação um projeto que considero fruto de anos de dedicação, aprendizado, comprometimento e amor à minha profissão.  

A SecGlobal nasceu com o objetivo de assessorar empresas que por motivos diversos optaram por uma estrutura enxuta e dinâmica. Com isso, meu trabalho é facilitar a vida de empresários, consultores e profissionais que necessitam de assessoria executiva especializada. 

Este mês, em especial, todos os meus clientes buscaram o mesmo serviço: capacitar e treinar seu quadro de pessoal. 

Interessante perceber que em todos os discursos a expectativa é a mesma "Eu preciso que os funcionários compreendam a importância do nosso negócio e o seu papel",  "A nossa empresa está em plena ascensão e muitos funcionários não têm a postura que necessito para garantir o sucesso esperado", "Está muito difícil encontrar profissionais qualificados" são algumas afirmações dos clientes. 

Isso, para o meu negócio, é ótimo. Uma vez que um dos serviços ofertados pela SecGlobal é a capacitação e treinamento de pessoal. Entretanto, não posso deixar de refletir sobre o assunto. 

Afinal, qual é a dificuldade em atuar com excelência naquilo que você se propõe? qual a dificuldade em atender às expectativas do mercado? quais as ferramentas estes indivíduos precisam conhecer?

Embora não haja uma fórmula mágica, há alguns caminhos que podem garantir o sucesso e são eles: 

Estude o negócio da empresa - Conheça a missão, a visão e os valores da empresa. Compreende qual é a essência do negócio;

Conheça o negócio - Leia as informações disponíveis na intranet ou mesmo regimento interno da empresa e entenda qual o segmento e o mercado de atuação;

Seja proativo - As empresas buscam pessoas que faça aquilo que deve ser feito. Se o seu gestor tiver que lembra-lo a todo tempo qual é o seu papel ele não precisa de você;

Coloque a mão na massa - Nada de corpo mole. Chegou no escritório foque em resolver as pendências e tenha disciplina para conclui-las em tempo hábil. Não seja o "enrolador" que toda empresa despreza. 

Tenha bons modos - Por mais que as empresas e gestores não digam abertamente é extramente importante manter uma postura adequada, o que envolve educação, bons modos e bom senso. Não seja o sem noção da área. Isso, com certeza, será decisivo para uma promoção o mesmo permanência no quadro. Observe como os gestores da sua empresa se comportam e siga o exemplo. Nada mais desagradável que trabalhar com um profissional com ótimas habilidades técnicas e nota zero em comportamento. Acredite, isso conta muito para a sua carreira e ascensão. 

Encante seu cliente - Com um sorriso, com otimismo e bom humor o dia fica mais leve e o trabalho prazeroso. Trabalhar não deve jamais ser uma punição mas um presente que a vida nos proporciona. Portanto, faça valer a pena. 

Autoavaliação - Essa habilidade contribui e muito para que você compreenda o que é excelência. Todos os dias olhe no espelho e faça as seguintes perguntas: Eu gostaria de ter um funcionário como eu? Se eu fosse o dono da empresa, eu me contraria? 

Em tempos de crise o mercado clama por alta performance e aqueles que possuem esta habilidade "nadarão de braçadas". 

um abraço, 

Simara Rodrigues