quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Trabalho em equipe sempre gera melhores resultados




Em 2012 estive em Mendoza, uma cidade localizada ao oeste da Argentina, aos pés da Cordilheira dos Andes. A região é responsável por aproximadamente 80% da produção de vinho do País e é considerada o “berço das melhores vinícolas Argentinas”. 

Além das centenas de vinícolas, muitas abertas para visitação e degustação, a pitoresca cidade com traços marcantes da Europa, oferece boa gastronomia, paisagens belíssimas e esportes radicais. 

E foi passeando pela cidade em uma tarde que me deparei com a Argentina rafting, uma das empresas que organiza excursões e passeios radicais. O rafting é um dos esportes mais procurados em Mendoza certamente por proporcionar uma aventura regada de belíssimas paisagens. O preço do passeio é a partir de 500 Pesos, cerca de R$ 145,00. 

No dia seguinte, por volta das 08:00 a equipe da Argetina Rafting, muito animada e disposta, nos buscou no hotel rumo às cordilheiras. 

O passeio começou em Potrerillos, um povoado há 80Km do centro de Mendoza. O lugar é simplesmente lindo e a empresa tem um excelente staff no local, com restaurante, vestuário para tomar banho e depósito para os pertences. O pacote que compramos incluía todos os equipamentos e roupa especializada. 

Já com as roupas e equipamentos necessários, subimos até o local da aventura em um ônibus, também oferecido pela empresa. Durante o trajeto de aproximadamente 13Km, os instrutores passavam as informações de segurança e orientações necessárias. Os instrutores são altamente qualificados e preparados para toda e qualquer eventualidade. 

Ao chegarmos ao local nosso instrutor, um peruano incrivelmente gentil, foi designando quem ficaria na frente, no meio, na direita, na esquerda e atrás do bote. Por algum motivo ele me colocou na frente. 

Foi então que meu filho, na época com 15 anos disse com tom de preocupação: "mãe, você não sabe nadar!". Eu prontamente disse: "pisu. A essa altura do campeonato essa não é uma informação relevante. Eu sei boiar". E caímos na gargalhada. 

Os 12 km que remamos corredeira abaixo, sob orientação do instrutor, foram de muita adrenalina e, no meu caso, de medo. A água, certamente pelo degelo das cordilheiras, era congelante e com areia. 

Nosso instrutor dizia com frequência: "se não quiseram cair remem juntos e quando eu disser para parar, parem". Eu nunca havia feito rafting, portanto, não tinha a menor ideia de como fazer. Meu colega, uma espanhol que via meu desespero, me ensinava como remar e ouvir as orientações do instrutor simultaneamente. Minha coordenação motora nunca foi das melhores. 

Muitas vezes o bote batia nas pedras e virávamos de um lado para outro. Quando não eramos surpreendidos com Redemoinho de água. Essa aventura durou cerca de 1h hora e quando chegamos ao final do percurso dentro do botes foi incrível. Todos se abraçaram, felizes e realizados.

Desse dia levei muitas lições para a vida. Além da superação e do medo de água, tive o privilégio, ainda que em um curto espaço de tempo, de aperfeiçoar algo que valorizo e busco em minha rotina. O trabalho em equipe. 

Foi uma experiência singular estar em um bote com pessoas desconhecidas que buscavam o mesmo propósito: chegar no destino final, sem cair corredeira abaixo e com uma feliz experiência.

Ainda que instintivamente alguns inclinassem o corpo para dentro do bote, o que era proibido pois essa ação poderia resultar na virada do bote, conseguimos trabalhar em equipe. Um apoiando o outro. Remando junto e em total sintonia. Como uma espécia de hino todos gritavam: vamos! remem! força! vai! falta pouco. Foi maravilhoso!

Quando aprendemos a “remar juntos” os desafios são facilmente superados. E fica combinado a comemoração é bem melhor. 

Que tenhamos a incrível capacidade de trabalhar em harmonia, respeitando o outro exatamente como ele é, com suas qualidades e limitações. 

um abraço, 

Simara Rodrigues 




Corredeira com um buraco gigante - parecia que nos engoliria. Mas não viramos. Eu estava totalmente dentro d'água. 




Adoro essa foto!



A água barrenta é resultado do degelo







Pose para a foto. E eu feliz da vida. A sensação de estar inteira é maravilhosa. (risos).





























2 comentários:

  1. Minha amiga, que história inspiradora e maravilhosa! Amei o texto! Um perfeito exemplo de que quando estamos juntos por um mesmo propósito as coisas funcionam e o barco não vira tampouco afunda. Amo ler o que você escreve! Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga Marcela, juntos somos mais e é isso que nos fortalece. Obrigada pelo carinho e oportunidade de aprendizado contínuo. um abraço, Simara

    ResponderExcluir