quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Só a mudança é permanente







Minha primeira experiência profissional na área de Secretariado aconteceu em 1999, tão logo ingressei na faculdade. Foi uma oportunidade incrível e que me rendeu muitos frutos e contribuiu de forma relevante para a minha carreira, ainda que naquela época fosse apenas um estágio.


Hoje quero compartilhar, em especial, uma situação que na época era comum e fazia parte do dia a dia dos funcionários  - termo utilizado à época para referir-se aos colaboradores, que atualmente são considerados o maior ativo das empresas. Fumar na estação de trabalho não só era comum como fazia parte da rotina dos colaboradores o que incluía a Secretária do Gabinete em que eu trabalhava.  

Lembro-me perfeitamente dela: Discreta, sisuda e respeitada por todos. Ela tinha um empoderamento admirável, certamente por trabalhar com uma das autoridades máximas do Órgão e por ser impecável em seu trabalho. Eu Morria de medo dela, ao mesmo tempo que desejava possuir suas habilidades.

Eram 2 secretárias e duas estagiárias para auxiliar apenas um Executivo e ela era a “Secretária Chefe”. Termo muito comum à época para definir quem era Sênior e tomava as decisões. 

Em sua mesa havia um cinzeiro de cristal enorme. Ela fumava praticamente uma carteira de cigarro por dia. Muitas vezes o cigarro ficava apenas acesso, funcionando como uma espécie de incenso e todos que ali estavam compartilhavam. Éramos fumantes passivos. Presenciei em muitas situações ela despachar com o Executivo, ambos fumando. Tudo dentro da normalidade da época.

Em 2001, com a chegada de novas tendências e conceitos corporativos o Órgão adotou algumas políticas e implantou regras em busca da qualidade de vida. Foi então criado o “fumódromo”  - um andar inteiro para receber os funcionários que fumavam. Na época, essas mudanças criaram alvoroço. Um absurdo não poder fumar na mesa, esbravejavam os “prejudicados”.

Dá para imaginar uma rotina dessas hoje? Um colaborador fumando em sua estação de trabalho? quatros Profissionais de Secretariado para auxiliar um único executivo? Secretária chefe? 

Fazendo uma retrospectiva dessa experiência, que não faz tanto tempo assim, é no mínimo curioso analisar situações que julgaria inacreditável acontecendo atualmente. Percebo como os conceitos são efêmeros e como somos resistentes às mudanças. Por outro lado, e talvez na mesma proporção, percebo como somos adaptáveis e sobretudo como a mudança é positiva, possível e necessária.   

Parafraseando Érico Veríssimo “Quando os ventos de mudanças sopram algumas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de ventos”. Resta descobrir a que time escolhemos fazer parte.

Um abraço,


Simara Rodrigues  

4 comentários:

  1. Professora, adoro os seus textos. E tem me ajudado bastante a refletir sobre algumas decisões que preciso tomar.

    ResponderExcluir
  2. Eliane, que grata surpresa receber sua mensagem. Fico feliz em contribuir de alguma forma. Desejo que a partir de suas reflexões você possa continuar em busca do seu crescimento. um abraço Simara

    ResponderExcluir
  3. Crescendo e aprendendo a cada dia com a melhor professora... Simara Rodrigues.

    ResponderExcluir
  4. Vivendo e aprendendo com a melhor professora. Simara Rodrigues!

    ResponderExcluir