sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Manual de Boas Práticas – Passageiro de Avião




Caros leitores, 

Particularmente acredito que a boa convivência deve ser uma regra em qualquer situação, o que inclui em viagens de negócios ou turismo. Outro dia, em uma viagem para São Paulo uma passageira resolveu tirar o esmalte da unha em pleno voo - leia-se em um ambiente fechado e com ar condicionado. 

Imediatamente ao ver a cena o comissário de bordo solicitou que mocinha guardasse o material, o que foi em vão, pois logo após ser chamada a atenção continuou tirando seu esmalte. Resultado, uma outra passageira começou a passar mal com o forte cheiro. E foi então que de repente outro passageiro levantou-se e começou a gritar com a causadora de todo o desconforto. E foi em pleno voo - CGH/BSB que começou uma baixaria e troca de desaforos entre pessoas adultas e nada civilizadas. Definitivamente bom sendo cabe em qualquer lugar. 

Essa e outras situações podem ser evitadas seguindo as dicas compartilhadas pelo site voando e avaliando. 


Considerando que já voei milhares de vezes (literalmente), tendo passado por muitas situações inusitadas e observado algumas atitudes desnecessárias e algumas crises entre passageiros, acho que já estou em condições de formular um Manual de Boas Práticas do Passageiro de Avião.

Acho que é importante dividir este Manual em 03 grandes partes:

1) Boas práticas no processo de compra da passagem:

temos no Brasil uma intensa competição no setor aéreo, portanto, as grandes companhias sempre fazem promoções, com preços muito atrativos, entretanto, estes preços baixos estão associados a tipos de tarifas com uma série de condições e restrições, em especial, altas taxas de remarcação e cancelamento; podemos discordar do patamar destas taxas, mas elas estão associadas diretamente ao preço promocional que atrai nossa atenção; se você se beneficia com o preço baixo e compra a passagem, está aceitando todas as condições (as boas e as ruins); esta é uma prática do mercado mundial, em especial, na Europa e todos os alertas sobre estas regras são feitos pelas companhias no processo de venda da passagem (repare que estou falando de compras feitas diretamente com as empresas, sem nenhum tipo de intermediário ou compra coletiva); portanto, leia atentamente as condições das tarifas promocionais, pois alegar desconhecimento ou prática abusiva da empresa não é medida justa

2) Boas práticas no procedimento de embarque:

vá ao banheiro antes de embarcar, só há vantagens nisso: o banheiro do saguão do aeroporto é muito mais espaçoso e confortável, além disso você não precisa incomodar ninguém (na ida e na volta ao banheiro) caso esteja sentado na janela

na hora do embarque, respeite a ordem definida pela companhia aérea; no Brasil, geralmente as empresas dividem os passageiros em 03 grupos: prioridades (por lei e passageiros frequentes com algum status no programa de fidelização), assentos da parte de trás do avião e, finalmente, assentos da parte frente; isto tem uma lógica por trás: como cada pessoa geralmente fica parada no corredor do avião para colocar sua mala no bagageiro, o fluxo de entrada fica otimizado quando entram primeiro os passageiros que estão no fundo; portanto, respeitar estes grupos é bom para todos, pois proporciona um embarque mais ágil e aumentam as chances do voo sair no horário previsto

se o embarque for remoto, não fique na porta do ônibus que te levará até o avião que está estacionado em posição remota; quando isso acontece, geralmente, o meio do ônibus fica vazio e menos passageiros são transportados em cada trajeto; lembre-se que mochila nas costas ocupa um espaço desnecessário, coloque-a entre as pernas; se forem necessários 03 ônibus (vazios) para levar todos os passageiros, o processo de embarque vai demorar mais do que se apenas 02 (cheios) forem utilizados

3) Boas práticas dentro do Avião:

siga as regras definidas pela companhia aérea escolhida com relação à bagagem de mão; mais uma vez, existe uma lógica por trás: garantir que todo e qualquer passageiro possa carregar sua bagagem para dentro do avião, ou seja, é uma questão de isonomia e respeito ao próximo; quando os bagageiros estão lotados e não há espaço para a mochila do passageiro que entrou por último, o voo sempre atrasa, pois é preciso despachá-la para o porão (sem contar a hipótese do passageiro se recusar, reivindicar o direito de ter sua bagagem de mão no compartimento dentro do avião e arrumar confusão)

respeite os assentos atribuídos no procedimento de check-in; podemos discordar da política da companhia de cobrar um adicional por um assento mais confortável, mas a partir do momento em que a passagem foi comprada, as regras precisam ser respeitadas; além disso, em voos de baixa ocupação, a distribuição dos assentos pode ser feita para um melhor balanceamento da aeronave, se você mudar de lugar pode comprometer a performance do voo

obedeça as regras sobre o uso do aparelho celular e outros equipamentos eletrônicos: evite que o “Engenheiro Aeronáutico” que existe dentro de você conclua que não tem problema nenhum usar o celular mesmo depois que a tripulação orientou a desligá-lo; atualmente, TAM e GOL já permitem o uso em “modo avião” em todas as fases do voo; a regra é clara: com segurança de voo não se brinca, se respeita

tenha consciência: não fique batendo com o joelho ou dando pancadas na poltrona do passageiro à sua frente; não há nada mais incômodo do que absorver com as costas estes trancos

se você encontrar uma amiga que não vê há anos e ela sentar perto de você (mas não ao seu lado), tente segurar a ansiedade de botar o papo em dia durante o voo (conversem no aeroporto de destino), e evite ficar gritando e conversando, os outros passageiros não precisam compartilhar deste momento de alegria e ouvir todas as novidades da sua vida

na “Guerra dos Cotovelos” para ocupar o “território inimigo” do braço da poltrona, dê preferência sempre ao passageiro que está sentado na fileira do meio; quem está na janela, tem a seu favor o espaço entre o braço e a parede do avião, da mesma forma, há espaço a mais para quem está no corredor; quem está no meio não tem nenhuma vantagem, portanto, deve ter preferência para apoiar os braços; obviamente, a “negociação” tem que ser feita de forma civilizada, sem empurrões

não existe lei que obrigue todos os passageiros a levantar assim que o avião é estacionado, portanto, mantenha a calma e aguarde, pelo menos, que a porta da aeronave seja aberta
no processo de desembarque, aceite que as pessoas que estão mais a sua frente no avião sairão primeiro; é muito comum as pessoas acharem que, por estarem no corredor, podem sair primeiro e que as pessoas que estão na janela da fileira à frente devem ficar esperando; é uma questão de organização e cortesia: quem está mais a frente, sairá primeiro, estando na janela, meio ou corredor; já tive que me jogar na frente de muitas pessoas e adoro debater com os apressadinhos sobre isto; em resumo: se você está na fileira 4, não saia na frente dos passageiros da fileira 3

Como pode ser visto, todos nós somos responsáveis por vários aspectos durante um voo: pontualidade, segurança e bem-estar geral. Portanto, façamos a nossa parte para garantir que a experiência de andar de avião seja sempre a melhor possível para cada um de nós.

Fonte: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário