segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Devagarinho...



Calma Simara, é devagarinho que as coisas acontecem”. Sempre dizia meu chefe a cada gesto tempestivo meu. Houve um tempo, influenciada pela geração Y e pela urgência que nos devora a cada dia, em que desejava que tudo acontecesse da noite para o dia. Era ansiosa, falava mais do que ouvia - aliás, eu não ouvia - era impaciente e sofria com a “demora em chegar lá”. 

Muitas foram as frustrações por não conseguir aquela vaga de emprego tão sonhada ou mesmo por não ter o reconhecimento que esperava dos meus gestores. Certa vez, perguntei a um gestor da empresa se poderia participar de um processo seletivo interno para uma vaga que tomara conhecimento. Ele prontamente disse que eu não estava preparada para assumir aquela vaga e não era possuidora de todas as habilidades necessárias. Em um primeiro momento, aquilo foi como um balde de água fria e a desmotivação tomou conta de mim por um tempo. As primeiras reações foram de indignação e sentimento de injustiça. Aos poucos, fui avaliando o feedback e parti em busca de novas habilidades. Segui o conselho de uma grande amiga e fiz uma limonada do meu limão. O resultado desse e de outros feedbacks é que nunca parei de me capacitar. 

Sim, é devagarinho que as coisas acontecem. Mas acreditar nessa máxima não significa sentar e esperar ou mesmo ser favorável com a lentidão que assola alguns indivíduos.

Devagarinho quer dizer que devemos andar com paciência, resiliência e sobretudo construindo – novos saberes, rede de relacionamento e perspectivas. Significa que se desejamos realmente algo é preciso acreditar, arregaçar as mangas, tirar do papel e fazer acontecer - exatamente nessa ordem. É preciso plantar para colher e isso leva um tempo. 

E a medida que amadurecemos vamos percebendo que tudo aquilo que depositamos tempo e persistência uma hora encontra o seu apogeu.   

Um abraço uma ótima semana, 

Simara Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário