quinta-feira, 23 de julho de 2015

7 grandes erros na hora de pedir demissão

Não é porque estão dizendo que a Economia brasileira está em crise, que o profissional é obrigado a trabalhar em um emprego no qual não se sente feliz. A felicidade é uma dádiva e deve ser buscada sempre, independente de como estiver a nossa Economia.

A insatisfação profissional decorre de inúmeros fatores, como o relacionamento com os líderes, os sistemas de cargos e salários, os programas de benefícios, as oportunidades de crescimento, dentre outros.

Todas estas situações acabam gerando muito estresse e contribuindo para que o profissional se sinta motivado. Motivado a procurar outro emprego.

Nestas horas é necessário ter bastante cautela e avaliar ganhos e perdas com a sua decisão. Dentre os principais erros na hora de pedir demissão estão os seguintes:

1) Analisar de forma superficial o cenário atual e o cenário desejado: você está convencido de que vai encontrar lá fora, um cenário melhor do que você já tem dentro da organização? Não tome decisões precipitadas que poderão prejudicar sua carreira a médio e longo prazo.

2) Não blefe e esteja realmente disposto a sair: por incrível que pareça, existem muitos profissionais que pedem demissão, não por querer sair da organização, mas porque têm a expectativa de que receberão uma proposta melhor para ficar, ao fazer o pedido. Seja um aumento de salário, promoção, ou redução de jornada.

3) Demissão não se pede, se comunica: o termo "pedir demissão" é bastante ultrapassado e remete a uma época em que você realmente precisava pedir para sair do seu emprego. Se o profissional já está certo de sua decisão, deve apenas comunicá-la e, preferencialmente, da forma mais sincera possível.

4) Comunicar os colegas primeiro: seja ético e não comente com seus colegas antes de comunicar o seu chefe. Por mais sigilo que se peça, é natural que a notícia se espalhe e você venha a "queimar o seu filme". Afinal de contas, ninguém gosta de ser o último a saber.

5) Culpar o chefe pela saída: por mais que você considere o gestor um verdadeiro "mala", é simpático não atribuir o seu desligamento ao relacionamento com o chefe. Procure enfatizar as diferenças no estilo de trabalho e não na pessoa em si.

6) Exaltar demais o novo emprego: mesmo que você esteja muito feliz e convencido de que encontrou o emprego dos sonhos, tenha cuidado ao elogiar demais o seu novo trabalho. Primeiro, porque você ainda não tem certeza de que o lugar é realmente tão maravilhoso quanto foi propagado e, segundo, mesmo se tiver certeza, o mundo é muito dinâmico e um dia você pode encontrar com a sua antiga empresa.

7) Lavar a roupa suja e fechar as portas: tão importante quanto ir em busca de um emprego melhor é deixar as portas abertas no seu emprego anterior. Evite criticar a empresa, os colegas e o chefe no momento da decisão e procure resolver estas questões ao longo de sua vida profissional. Quando você sai atirando, não espere que ser recebido com a bandeira branca no futuro.

Estes são pontos de atenção que todos devemos ter no momento em que vamos refletir sobre um eventual desligamento.
É muito importante manter uma relação cordial e amigável com sua ex-empresa e com seus ex-colegas.

Por mais que você não vislumbre a possibilidade de retornar ao emprego, a dinâmica dos negócios traz muitas surpresas: fusões, aquisições, incorporações, além da habitual rotatividade de profissionais.


Fonte: Marcelo Britto 


Nenhum comentário:

Postar um comentário