quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Quando é hora de mudar de carreira?

*Judith após atuar como Secretária Executiva em uma multinacional, assessorando o presidente há 16 anos, resolveu pedir demissão, mesmo sem outro emprego a vista, e partir em busca de novos projetos. Simples assim! 

Mas afinal, qual o motivo? 

A Secretária Executiva já não se identificava com a profissão e com as atividades que desempenhava e concluiu que “se você não ama o que faz a melhor alternativa é buscar outra coisa”. 


No entanto, antes desta decisão Judith precisou tomar algumas providências. E ao longo de um ano preparou-se para esta transição. Ela fez um planejamento que previu custos mensais, riscos, possíveis frustrações, expectativas para a nova fase e claro, precisou fazer uma reserva financeira. Afinal, não existe mudança gratuita. 

Passei a admirar mais ainda Judith a partir dessa decisão. Não porque “chutou o balde” inconsequentemente, mas porque resolveu dedicar-se aquilo que faz o seu coração vibrar. Não aceitou a inercia como muitos fazem e vivem anos e anos optando muitas vezes por viver a “síndrome de Hiena”. 

Mudar, sem dúvida, exige muita coragem, planejamento e preparo. Talvez por isso, poucos se atrevem. 

Em minha opinião, alguns sinais de que é hora de mudar: 

Você começa a ter a “síndrome da música do Fantástico”. Isso mesmo, chega domingo à noite bate aquela tristeza só de imaginar que amanhã você tem que trabalhar; 

Não há nada de novo para aprender e todas as suas atividades estão no “automático”;

Você não tem vontade de contribuir com novas ideias;

A hora não passa quando você está no trabalho;

você não sente satisfação ao falar do seu trabalho e de suas atividades; 

Você não vê perspectiva de crescimento profissional na empresa;

Você, com frequência, se queixa do trabalho ou do chefe com familiares, amigos e colegas. 

Mas tenha cuidado para não responsabilizar a sua carreira por insatisfação com o emprego atual ou com o gestor.  Muitas vezes uma mudança de emprego , ou mesmo de área resolve o problema. Nessas horas é importante analisar os pontos de descontentamento e "virar o jogo".

E o que Judith tem feito? Considerando seu planejamento, durante um ano ela realizará alguns cursos e atividades que estão alinhadas às suas expectativas para o futuro. Desejo que os sonhos de Judith se tornem realidade e que a vida seja muito generosa com ela, porque o que vale mesmo é ser feliz! 



*Judith é um nome fictício.





Nenhum comentário:

Postar um comentário