terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Planejando sua viagem - parte 5 - Praga

Após de 03 dias em Lucerna o cansaço começou a bater. Afinal, já são 15 dias viajando, caminhando, arrumando e desarrumando malas. Uma experiência que tive com essa viagem foi reduzir o número de lugares. Na ânsia de conhecer tudo acabamos voltamos de férias exaustos e foi o aconteceu. A essa altura eu já sentia falta da minha casa, da minha cama e da minha rotina. 


Foi a partir de então que reduzi o tempo e os trechos das viagens. Até porque não tenho mais 20 anos de idade. 

Partir de Lucerna foi muito tranquilo, pois estava hospedada ao lado da estação. Mas a viagem foi demorada, cerca de 7 horas de trem. Como viajei de 1ª classe havia serviço de bordo. Para esse trecho foi preciso fazer uma conexão até uma cidade informada no bilhete (não me recordo o nome) e fazer o restante do trecho de ônibus. Essa parte foi tensa por vários motivos. Não falo alemão e eles não falavam inglês e tampouco espanhol. A medida que o horário do ônibus se aproximava e não encontrava o local ia ficado mais nervosa. Até que encontrei um balcão de informações que me orientou sobre a rodoviária. O que na verdade tratava-se de uma parada de ônibus – e tudo isso com as benditas malas. O ônibus chegou no horário exato e 1h depois desembarcava em Praga. A estrada era perfeita o que me fez sentir vergonha, por alguns minutos, do meu País. Definitivamente as coisas na Europa funcionam muito bem. 

Cheguei em praga à noite e Graças a Deus havia um ponto de taxi ao lado. O taxista não falava inglês mas pronunciou muito bem o valor da corrida. O que já era perfeito depois de um dia de viagem. 

Estava tão cansada que acabei jantando no próprio hotel, o que não foi nenhum sacrifício, pois a comida era divina. Sacrifício foi tentar entender a moeda local, a Coroa Tcheca, a qual batizei de praguinha. Será por quê? Para que tenha uma ideia R$ 100,00 equivale a 878,10 Kc. Como sou da área de humanas, fazer cálculos e conversões não é a minha praia. Por isso um aplicativo que me ajudou muito foi o “currency”. Trata-se de um conversor de moedas que sempre uso. 

É em Praga que encontra-se o relógio astronômico - uma construção de geometria complexa com figuras de apóstolos e caveiras em movimento que anunciam a hora. Com uma arquitetura que mistura o gótico ao renascentista e a prédios modernos está um dos maiores castelos do mundo - São várias as opções de ingressos e descontos. Vale verificar o site oficial dos ingressos para ter certeza dos valores. Você pode comprar direto nas entradas do castelo ou pelo site TicketPortal. 

Andei muito de taxi e a pé, principalmente atravessando a famosa ponte Carlos, construída em 1357 sobre o rio Vltava. As vantagens de andar por Praga será encontrar os simpáticos cafés ou bares para degustar, sem moderação, a fantástica cerveja de trigo. 

Em praga eu errei a escolha do hotel. Fiquei em um hotel muito bom, mas distante do pontos turísticos. Com isso, perdi um pouco de mobilidade. Minha sugestão é ficar próximo ao relógio astronômico.

Outro sugestão é levar luvas térmicas. Praga foi o lugar mais gelado que visitei nesse roteiro. Pois além da temperatura - que chegava a 3 graus - o vento era muito forte, o que aumentava a sensação térmica. Algumas partes do meu corpo, como mãos e boca, chegaram a queimar com o frio. 

E o idioma? Eles falam Tcheco. Portanto, se for pedir informações em inglês procure aos mais jovens. Assim as chances de se comunicar serão maiores. 

Próxima e última parada: Berlim

Troca da guarda no Castelo de Praga



Pelas ruas de Praga 


 Entendeu?






Atravessando a ponte Carlos 










Nenhum comentário:

Postar um comentário