segunda-feira, 23 de junho de 2014

Seja um boa companhia

Com frequência publico alguns posts a respeito do assunto abaixo descrito porque acredito, de corpo e alma, que a forma como nos comportamos pode influenciar em nossa vida pessoal e profissional. E como não podemos interferir no comportamento do outro, é preciso fugir das armadilhas do autoengano e avaliar como tem sido o nosso comportamento, e a partir desse ponto atuar de forma positiva e construtiva. 


Evite ser o chato que reclama de tudo no trabalho por Célia Leão 


Se você não quer ser isolado pelos colegas de trabalho, desligue o botão de reclamações ininterruptas. E deixe de ser o sujeito que só sabe olhar para o próprio umbigo


Ando aqui pensando muito em como as pessoas que estão ao nosso lado podem influenciar positiva ou negativamente uma experiência. Viaje com um chato e você se lembrará do que eu falo: por melhor que a coisa esteja, o chato sempre acha uma maneira de estragar o que é bom, reclamando o tempo todo de tudo.

No ambiente corporativo é a mesma coisa. Só quem trabalha ao lado de um chato ou de um profissional sem noção entende o que estou falando. Só esses pobres coitados é que sabem o calvário diário a que são submetidos. Se você não quer ter sua mesa colocada atrás do armário que guarda o arquivo-morto do escritório, preste atenção nestas dicas.

Seja positivo – Na medida do possível, controle seu temperamento, não reclame de tudo e de todos, cultive o bom humor, faça sua vida e a dos que o rodeiam mais leve. O trabalho por si só já é estressante.

Maneire o tom – Não imagino nada mais estressante do que trabalhar ao lado de alguém que, o tempo todo, se comunica com os colegas e com os clientes num volume tal que quem não participa da interação nem sequer consegue se concentrar. Nesses casos, o feed­back honesto e gentil ao gritalhão resolve a situação.

Não seja do contra – Engaje-se, torça a favor de projetos e de responsabilidades que são de todo o seu time. Tem coisa pior do que trabalhar ao lado de alguém que parece ter uma nuvem negra de negatividade sobre a cabeça o tempo todo?

Baixe o ego – Sim, sim, as estrelas deixam o céu sempre mais bonito. E, quanto mais delas há na noite, mais bonito fica o céu. Pare com esse complexo de farolete e deixe que os outros falem, contem seus feitos, enfim, brilhem também. Aquele que quer que os outros ouçam seus casos precisa aprender a ouvir o caso dos outros.

Respeite seu time – Honre os compromissos que você se propôs a cumprir. Seja um profissional pontual, jogue limpo com os colegas e jamais pense em puxar o tapete de quem quer que seja ou em levar vantagem sem merecimento.

Como vê, são pequeninas coisas que, somadas, podem fazer da vida dos que nos rodeiam um oásis de tranquilidade e produtividade. Ou, quando ignoradas, geram uma sucessão de estresses e aborrecimentos que, mais dia, menos dia, acabam sendo sanados, nos casos extremos, com o desligamento do chato do grupo. Nos escritórios colaborativos de hoje, ser chato custa caro.

FONTE: http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/192/noticias/seja-uma-boa-companhia

Nenhum comentário:

Postar um comentário