sexta-feira, 27 de junho de 2014

Três verdades que o seu chefe não vai te contar

Três verdades que muitas vezes passam despercebidas em nossa carreira!!! 

Três coisas sobre subir na carreira que seu chefe não vai te contar

“Faça planos – ou outra pessoa o fará por você”. Não poderia haver frase mais representativa para o momento em que você assume as rédeas da sua carreira. 

Se você recebeu bons feedbacks de seu trabalho, se esforçou, trabalhou intensamente e sente que está colhendo os frutos, chegou o momento de traçar um plano de carreira. Porém, se você espera que seu chefe te dê as coordenadas sobre como se dar bem no trabalho, é melhor se prevenir pois, embora seu chefe provavelmente queira te ajudar, estima-se que um gestor gasta, em média, 3.3 horas por semana com pessoas. Desse tempo, apenas 2 horas são destinadas a treinar e aconselhar colaboradores. Tarefas administrativas, por outro lado, tomam 24% do tempo do gestor.

Para te ajudar a fazer o movimento certo e preparar sua carreira, listamos três dicas importantes. Confira:

- Tenha bons chefes

Trabalhar para o líder certo é o primeiro passo para ser um bom líder. Trabalhe para pessoas que você respeita e construa boas relações com seus chefes. Ter o apoio de seu gestor pode fazer com que você abra importantes portas na carreira.

Uma outra possibilidade é eleger um executivo que você admira muito na sua empresa para ser seu mentor. Mesmo que ele não seja seu superior imediato, pode te orientar em relação à carreira.


- Preste atenção ao “timing”

Em 2011, quando a Accenture fez uma pesquisa com 3.400 executivos, descobriu que apenas 37% deles tinha pedido um aumento, promoção ou mudança de trabalho. Depois, constatou-se que 59% das pessoas que pediram uma promoção a conseguiu, de fato. Então, chegou-se à conclusão de que a melhor forma de conseguir um aumento ou mudança de cargo é pedir. Ninguém – incluindo seu chefe – vai te dizer quando ou como fazer esse pedido.

Portanto, ter o timing perfeito na hora de fazer esse pedido é fundamental. Uma conversa certa no momento errado pode ser muito prejudicial. Por outro lado, se você demorar muito pode ficar de fora dos planos da empresa.

Para saber o momento ideal de pedir um aumento ou uma promoção, observe como outras pessoas conseguiram isso.

- Não esteja focado no trabalho o tempo todo

Você sabe que seu chefe quer que você dê 110% de você no trabalho, o tempo todo, mas, ironicamente, fazer isso pode fazer com que você perca uma estratégia fundamental para obter uma alta performance. Estima-se que colaboradores que acreditam ter um bom balanço entre trabalho e vida pessoal trabalham 21% mais do que os que não possuem essa característica.

Se você é uma pessoa com quem as pessoas gostam de estar, tem um sensor de humor e não se leva tão a sério, você tem seguidores. E isso fará com que você avance na carreira. Tendo um balanço saudável entre vida pessoal e trabalho e encorajando os colegas a fazerem o mesmo você aumentará seu desejo de continuar no trabalho, a performance da equipe e seu próprio potencial de liderança.

Fonte: http://blog.lovemondays.com.br/blog/tres-coisas-sobre-subir-na-carreira-que-seu-chefe-nao-vai-te-contar


Concurso do IFB oferece vagas para Técnico em Secretariado Executivo

Tenho recebido alguns e-mails solicitando material de estudo para realização do concurso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília IFB (técnico em Secretariado) no qual terão 13 vagas para a área com vencimento básico de R$ 2.039,89.

A princípio indico os seguintes links:


http://carlostakahashi.com.br

Neste link você encontrará vasto material sobre: Eventos, Tipologia de Eventos, Crimonial e protocolo, Normas do Cerimonial Público, Ordem geral de precedência, Símbolos Nacionais, Elaboração de Convites, tipos de Mesas e etiqueta. 

http://revistagesec.org.br

Neste Link você encontrará vários artigos sobre os temas solicitados no edital.

http://www.fenassec.com.br

Neste link você encontrará informações sobre a Lei, o código de ética e outras curiosidades acerca da profissão. 

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/manual/manual.htm
Manual da Presidência da República 

Provas e Gabaritos que podem auxiliar nos estudos: 

http://www.pciconcursos.com.br/provas/secretariado

http://ibegconcursos.com.br/admin/file/531_PROVA%20DE%20ANALISTA%20EM%20SECRETARIADO%20EXECUTIVO.pdf


Boa sorte!!!

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PARA O CARGO DE TÉCNICO EM SECRETARIADO

1. Regulamentação da Profissão: leis nº 7.377/85 e nº 9.261/96.

2. Código de Ética Profissional.

3. Manual de Redação da Presidência da República. 3.1. Redação oficial: impessoalidade, linguagem dos atos e comunicações oficiais, formalidade e padronização, concisão e clareza. 3.2. Comunicações oficiais: pronomes de tratamento, concordância com os pronomes de tratamento, emprego dos pronomes de tratamento, fechos para comunicações, identificação do signatário, ofício, memorando, exposição de motivos. 

4. Eventos: 4.1. Tipologia de Eventos. 4.2. Cerimonial e protocolo. 4.3. Normas do Cerimonial Público. 4.4. Ordem geral de precedência. 4.5. Símbolos Nacionais. 4.6. Elaboração de Convites. 4.7. Tipos de Mesas. 


5. Atendimento telefônico e presencial.

6. Histórico e evolução da profissão.

7. Estação de trabalho do secretário.

8. Marketing Pessoal. 8.1. Endomarketing e Marketing de relacionamento. 8.2.
Relacionamento intrapessoal e interpessoal.

9. Postura e atitudes do Profissional em Secretariado

10. Etiqueta profissional; etiqueta social; etiqueta à mesa

11. Técnicas Secretariais: planejamento e organização

12. Comunicação empresarial: comunicação escrita, comunicação oral, comunicação eletrônica

13. Documentação. 13.1. Arquivo. 13.2. 
Sistemas e Métodos de
Arquivamento. 

14. Administração do tempo. 14.1. Preparação de viagens. 14.2. Reuniões. 14.3. Trabalho em equipe. 14.4. Automação de escritórios.

Edital completo do IFB:

http://www.cetroconcursos.org.br/arquivos/anexos/982846c9cbad4043df01e76a24fbcb4f.pdf

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Secretária (o): Você e Eficaz?


Confira abaixo um artigo super especial que a equipe da Conferência SEB 2014 – Secretariado Executivo Brasil – preparou para você!


Secretária (o): Você e Eficaz?



Em 1989 o Professor Stephen R. Covey publicou o livro que até hoje se consagra como seu best seller e é reconhecido como referência por especialistas e líderes de importantes organizações do planeta. Em “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, o autor coloca de forma bastante simples e direta como algumas atitudes básicas – mas muitas vezes difíceis de serem aplicadas por representarem paradigmas para muitas pessoas – podem elevar um profissional para um status diferenciado e rentável para a sua organização.

Os “7 hábitos”, como se costuma falar, trazem acima de tudo um guia de referência para que profissionais possam policiar suas ações, seu modo de trabalhar e a forma como conduzem determinadas questões, em especial para diminuir o abismo que muitas vezes existe entre a forma com a pessoa se enxerga e como aquelas que a cercam realmente a vêem. Será que aquela pessoa que é vista por muitos como ineficaz de alguma forma consegue se vislumbrar desta forma? Ou pior: será que quem desenvolve um trabalho bom está recebendo este feedback positivo ou tem se estressado continuamente por não saber se está dando conta do recado? 

Certamente, ao ler os sete hábitos, têm-se uma bússola do quanto se está no caminho certo. Claro que fazer esta auto-análise não é um processo fácil, em primeiro lugar por representar, como já falamos, uma quebra de paradigmas, mas também por que as pessoas tem diferentes níveis de estima e auto-reconhecimento pelo trabalho que desempenham. Mas conhecê-los é sem dúvida um bom referencial para qualquer profissional.

 Vamos relembrar quais são estes hábitos? 

1) Seja pró-ativo Mais do que ter iniciativa, ser pró-ativo quer dizer protagonizar a própria história, as próprias conquistas. Sair da zona de conforto e tomar as rédeas – e total responsabilidade – sobre as realizações que alcança dentro de sua organização. Você é pró-ativo? Você se responsabiliza pelo que você obtém ou deixa de conquistar em sua empresa ou associa isso sempre a fatores externos?

2) Comece com o objetivo em mente. É sempre essencial ter clareza quanto ao destino que se quer alcançar. Se não se sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve, e é muito comum que pessoas que são muito ocupadas em seu dia a dia acabem tendo a sua agenda abarrotada mesmo não estando focadas em seu objetivo primordial. Você sabe onde quer chegar? O quanto suas ações estão empenhadas nisso?

3) Primeiro o mais importante. Quantas vezes empenha-se em fazer o que é menos importante e aquilo que traz mais resultado – para você e seu negócio – fica em segundo plano? Muitos são os motivos: novamente, falta de foco é um deles, mas também a procrastinação, o risco e muitas vezes o medo do fracasso trabalham juntos para afastar as pessoas do sucesso. Lembre-se: não há dois caminhos apenas, um que leva ao sucesso e outro ao fracasso, mas sim uma série de pequenos tropeços e lições aprendidas no caminho para o êxito. Você está priorizando o que é mais importante? Você está começando seu caminho com o pé direito?

4) Pense Ganha-Ganha: Ainda hoje muitas vezes entra-se em parcerias imaginando o que sua empresa – ou você – pode lograr de êxito e colocando em último plano o que o outro pode obter também de proveitoso com aquilo. Há que lembrar-se que de cada lado de um negócio ou acordo, há partes com interesses e que querem que o que se celebra seja bom para ambas, e só esse tipo de parceria vai ser capaz de promove relações duradouras, baseadas em confiança, comprometimento e mútuo auxílio. E você, está pensando “ganha-ganha”?

5) Procure Primeiro Compreender, Depois ser Compreendido: Aqui fala-se muito sobre diagnosticar o que o outro espera de nós antes de agirmos. Quantas vezes você não se pegou realizando uma tarefa que não foi bem aceita simplesmente por não ter entendido a fundo o que se esperava de você? “Temos dois ouvidos e uma boca”, diz o provérbio. E isso certamente tem muito a dizer para nós.

6) Crie Sinergia: Na mesma linha dos dois hábitos acima, a sinergia está ligada à interdependência que pessoas e negócios tem entre si e como isso pode fazer com que, juntos, chegue-se a melhores resultados. Quando se compartilha um mesmo objetivo, a chance de sucesso aumenta, pois rema-se em direção a algo comum e que pode trazer bons resultados para ambos quando o êxito é alcançado – e claro, o contrário se isso não acontece. Como diz a máxima: “Sozinho se vai mais rápido, mas junto se vai mais longe”. E você, o quão longe você deseja ir? Você tem com quem contar neste caminho?

 7) Afine o instrumento: Se você chegou até aqui, você já está fazendo isso. Afinar o instrumento é promover melhoria contínua do que se faz, mesmo que muitas vezes seja necessário parar tudo, organizar-se e redirecionar esforços. Não é preciso “trocar o pneu com o carro andando”, mas é importante muitas vezes conseguir ter esse respiro para ver o quanto se está trabalhando de forma eficaz. Avaliar se estamos mantendo o foco nos hábitos de quem é eficaz deve ser, por si só, também um hábito. Há quanto tempo você não para o que está fazendo para ver se é possível fazer melhor?

Como falamos no começo, não são hábitos complexos ou impossíveis, pelo contrário, são ações simples e que são muito bem ilustradas ao longo das mais de 400 páginas da obra do Professor Stephen Covey. No entanto para criá-los e seguí-los, muitas vezes mudanças profundas são necessárias, e aí é que reside o grande desafio de adotar estes hábitos das pessoas eficazes. Mudar para a melhor – por si só – acaba sendo também um hábito bastante eficaz para se ter em mente e se seguir. Basta querer.

Você quer?

Sobre a SEB 2014

A SEB 2014 – Secretariado Executivo Brasil é uma realização da Blue Ocean Business Events, que traz toda sua expertise no desenvolvimento de encontros de informação e negócios para este setor. A 1ª Conferência de Gestão Estratégica do Secretariado Executivo é organizada em oficinas e traz alguns dos mais reconhecidos especialistas no Brasil em temas como Gestão do Tempo, Planejamento, Gestão de Pessoas, Imagem Pessoal, Comunicação e muitos outros tópicos essenciais para o dia a dia de quem atua no secretariado. O evento acontece entre 28 e 29 de julho de 2014, no São Paulo Center em São Paulo – SP. Mais informações no (11) 3266-3591 |

segunda-feira, 23 de junho de 2014

"mens sana in corpo sano"

Aparentemente este post não fala sobre o ambiente de trabalho, como é a proposta do blog, mas ele tem tudo a ver com o “Secretariar é uma arte”. Trabalhar, sem dúvida, é muito bom, mas como ninguém é de ferro é preciso, de vez em quando, sair da rotina e da correria do dia a dia em busca de um rápido descanso. 


Um estudo realizado na Inglaterra comprovou que alguns dias de descanso podem trazer muitos benefícios para a saúde. Os cientistas descobriram que se “desconectar” por alguns dias e visitar novos lugares é suficiente para diminuir a pressão arterial, melhorar a qualidade do sono e eliminar o stress. Os testes também revelaram a diminuição nos níveis de glicose no sangue, diminuição do risco de diabetes, redução de medidas, melhora nos níveis de energia e de humor.

Portanto, uma viagem, por mais rápida que seja, contribui para a renovação de conhecimentos e hábitos do dia a dia. A mudança de cenários, o contato e a convivência com outras pessoas, culturas e experiências sempre nos inspira e estimula nossa criatividade. 

Para quem vive em Brasília uma boa opção é a Chapada dos Veadeiros. Região localizada a 220 km de Brasília no nordeste do estado de Goiás, que abrange cinco municípios: Alto Paraíso, Cavalcante, Colinas do Sul, São João D'aliança e Teresina. É o ponto mais alto do planalto central. 

Com a nossa habilidade para planejar e organizar dá para “recarregar as baterias” tranquilamente em um final de semana e voltar para Brasília mais leve. 

A chapada é um daqueles lugares que te “obriga” a desligar o telefone e desacelerar. A região oferece diversos atrativos como Cachoeiras, canyons, cavernas, flora e fauna riquíssima. As opções conseguem agradar a gregos e troianos, uma vez que há passeios que podem durar um dia de caminhada e aqueles que você praticamente desce do carro e se depara com uma cachoeira. 

Este final de semana estive por lá. A estrada está em ótimo estado, mesmo para quem optar por São Jorge – Vila que fica ao lado do Parque Nacional. E apesar de estarmos em um período que não há chuvas as cachoeiras estão cheias e convidando para um mergulho daqueles que te deixam prontos para mais um semestre de muito trabalho!!!


Trilha que dá acesso a cacheira Loquinhas - Alto Paraíso


Jardim de Maytrea - A caminho de São Jorge






Morro da Baleia - Uma subida de tirar o folego (no duplo sentido)



Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros


Vista do Canyon - Parque Nacional


Céu lindo de viver!!!



Feito criança no parque de diversões  :)


Cachoeira "Carioquinhas" - Parque Nacional





Parque Nacional




Vale da Lua





Conheça a Chapada dos Veadeiros: 



Seja um boa companhia

Com frequência publico alguns posts a respeito do assunto abaixo descrito porque acredito, de corpo e alma, que a forma como nos comportamos pode influenciar em nossa vida pessoal e profissional. E como não podemos interferir no comportamento do outro, é preciso fugir das armadilhas do autoengano e avaliar como tem sido o nosso comportamento, e a partir desse ponto atuar de forma positiva e construtiva. 


Evite ser o chato que reclama de tudo no trabalho por Célia Leão 


Se você não quer ser isolado pelos colegas de trabalho, desligue o botão de reclamações ininterruptas. E deixe de ser o sujeito que só sabe olhar para o próprio umbigo


Ando aqui pensando muito em como as pessoas que estão ao nosso lado podem influenciar positiva ou negativamente uma experiência. Viaje com um chato e você se lembrará do que eu falo: por melhor que a coisa esteja, o chato sempre acha uma maneira de estragar o que é bom, reclamando o tempo todo de tudo.

No ambiente corporativo é a mesma coisa. Só quem trabalha ao lado de um chato ou de um profissional sem noção entende o que estou falando. Só esses pobres coitados é que sabem o calvário diário a que são submetidos. Se você não quer ter sua mesa colocada atrás do armário que guarda o arquivo-morto do escritório, preste atenção nestas dicas.

Seja positivo – Na medida do possível, controle seu temperamento, não reclame de tudo e de todos, cultive o bom humor, faça sua vida e a dos que o rodeiam mais leve. O trabalho por si só já é estressante.

Maneire o tom – Não imagino nada mais estressante do que trabalhar ao lado de alguém que, o tempo todo, se comunica com os colegas e com os clientes num volume tal que quem não participa da interação nem sequer consegue se concentrar. Nesses casos, o feed­back honesto e gentil ao gritalhão resolve a situação.

Não seja do contra – Engaje-se, torça a favor de projetos e de responsabilidades que são de todo o seu time. Tem coisa pior do que trabalhar ao lado de alguém que parece ter uma nuvem negra de negatividade sobre a cabeça o tempo todo?

Baixe o ego – Sim, sim, as estrelas deixam o céu sempre mais bonito. E, quanto mais delas há na noite, mais bonito fica o céu. Pare com esse complexo de farolete e deixe que os outros falem, contem seus feitos, enfim, brilhem também. Aquele que quer que os outros ouçam seus casos precisa aprender a ouvir o caso dos outros.

Respeite seu time – Honre os compromissos que você se propôs a cumprir. Seja um profissional pontual, jogue limpo com os colegas e jamais pense em puxar o tapete de quem quer que seja ou em levar vantagem sem merecimento.

Como vê, são pequeninas coisas que, somadas, podem fazer da vida dos que nos rodeiam um oásis de tranquilidade e produtividade. Ou, quando ignoradas, geram uma sucessão de estresses e aborrecimentos que, mais dia, menos dia, acabam sendo sanados, nos casos extremos, com o desligamento do chato do grupo. Nos escritórios colaborativos de hoje, ser chato custa caro.

FONTE: http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/192/noticias/seja-uma-boa-companhia

domingo, 22 de junho de 2014

O que todo chefe deveria fazer mas (bem) poucos fazem

Quase metade dos chefes acha que dá atenção a suas equipes, mas pesquisa mostra que, na prática, subordinados não se sentem ouvidos pelos seus gestores


“Muitos problemas poderiam ser evitados se os chefes dessem mais abertura para a equipe falar”. A afirmação é da coach executiva Eva Hirsch Pontes.

De acordo com ela, gestores, em geral, não consideram que seja necessário ouvir melhor seus subordinados, muito embora esta seja uma competência essencial ligada à habilidade de comunicação, qualidade preponderante para quem ocupa cargo de gestão.

Recente pesquisa comandada por Eva, em parceria com Cristina Panella e a agência LeadPix, comprova a negligência dos chefes no que diz respeito à boa comunicação com a equipe. Dados mostram que 41% dos gestores dizem dedicar muita atenção aos seus funcionários, mas apenas 9% dos colaboradores concordam com seus chefes neste quesito.

Questionados sobre como se sentiriam caso o chefe dedicasse mais atenção, 43% dos subordinados afirmam que se sentiriam mais valorizados; 40% ficariam mais motivados e 35%, mais confiantes. O levantamento contou com a participação de 1.200 profissionais de cargos de liderança e colaboradores.

Falta aos chefes, diz Eva, desenvolver o que ela chama de escuta empática, ou seja, um mecanismo que realmente abra espaço para interação com a equipe.

E o primeiro passo é dar voz para as pessoas e entender as variáveis do seu lado da equação. “É ampliar o olhar para incluir o outro. Empatia é ir para o lugar do outro sem se perder de si mesmo”, diz Eva.

Segundo Eva, chefes que desenvolvem a escuta empática, que dão atenção efetiva para suas equipes, ganham o respeito e a confiança de seus subordinados. “Só influencia quem tem empatia”, diz Eva. E, explica a coach, três são os pilares fundamentais da escuta empática:

1. Reconhecimento

A primeira etapa é ouvir o que o outro tem a dizer. Mas não só. É classificada como a fase de reconhecimento já que cabe ao líder reconhecer os sentimentos e motivações e frustrações que estão em jogo a partir do discurso do seu subordinado. A expressão corporal e facial também pode dar indícios importantes a respeito do estado de espírito do funcionário.

2. Processamento

Após a fase de reconhecimento, as informações “coletadas” devem ser processadas. “Para entender o que a pessoa está querendo dizer, a primeira coisa é suspender o julgamento”, diz Eva.

É que cada um se comporta de acordo com o seu próprio sistema de crenças e valores. E é nesse ponto que entra em cena a empatia. Qual é a importância da demanda para aquela pessoa que a faz? O que a motiva? A resposta pode ser bem diferente para cada um dos membros da equipe.

3. Resposta

Só então, é hora de dar a resposta. Que fique claro que não se trata de o chefe concordar com o pedido ou a colocação do subordinado. Mas, sim, de construir uma resposta que mostre a ele que foi ouvido e entendido.

Resumir em tópicos pontos de acordo e de desacordo, principais mensagens da conversa e até pontuar sugestões para responder às demandas são ações que confirmam para a equipe que o chefe realmente a escutou. Explicar por que foi tomada outra decisão é essencial caso a demanda do subordinado não tenha sido atendida, segundo Eva.

FONTE: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/o-que-todo-chefe-deveria-fazer-mas-bem-poucos-fazem

“Gestão Estratégica para o Secretariado”

Programas de gestão, comunicação, motivação, liderança, habilidades, competências, planejamento e organização fazem parte da “Gestão Estratégica para o Secretariado”.

Este treinamento tem o objetivo de mostrar o novo perfil de sua profissão, entendendo o cenário atual, onde você está inserido, as expectativas da empresa e as perspectivas para o futuro. Para que você potencialize novas habilidades e conquiste resultados positivos, você precisa maximizar técnicas e ferramentas modernas.

Com dois dias de muita atividade, dinamismo e praticidade, você aprenderá e colocará em ação, todos os aspectos chave de sucesso no gerenciamento de sua carreira e apoiar a sua empresa para atingir seus objetivos de negócios.

Reserve em sua agenda os dias 30 e 31 de julho de 2014 para beneficiar-se de 2 dias de muito dinamismo e aprendizado. 

O programa abordará:
- O papel e a função do profissional de secretariado hoje e o mercado de trabalho

- As competências comportamentais exigidas ao novo perfil

- Aperfeiçoamento de habilidades de planejamento e organização

- Etiqueta empresarial e marketing pessoal

- O trabalho em equipe na busca de objetivos comuns

- A importância da comunicação no atendimento ao cliente

- O papel do profissional de secretariado atuando como relações públicas



E
ntre em contato com a Central de Atendimento pelo telefone
(11) 3017 6888 ou envie um e-mail para customer.service@informa.com

Você também pode se inscrever pelo site:
www.informagroup.com.br/dt03025.


Inscreva-se e ganhe o livro: “Secretária uma parceira de Sucesso”!

Até lá!

Yvelise Tonon
Gerente de Produtos
Informa Group Latin America – Academia de Secretariado

sábado, 14 de junho de 2014

A arte de não saber



“Judith é a melhor secretária que existe. Sabe exatamente a hora que deve saber tudo e a hora que não deve saber nada” afirmou um executivo de alto escalão de uma grande empresa. 



Ao longo desses anos, atuando na área, percebo que o se espera de um profissional de secretariado é que ele tenha bom senso ao transmitir informações. E muitas vezes, na ânsia de sermos avaliados como melhores falamos mais do que devemos seja ao fornecer informações acerca da agenda, de viagens, de compromissos e até detalhes pessoais. E nesse afã de sermos considerados o “sabe tudo” é que mora o perigo. 



Já faz algum tempo essa história, mas foi uma lição que levei para a minha vida e tem dado certo. Você descobre que em algumas situações cabe o "não sei e desconheço essa informação". 



Outro dia, em uma conversa informal com colegas de trabalho falaram algo que eu não poderia ter ouvido. Todos ficaram sem graça, eu fiz cara de “paisagem” e um dos colegas finalizou: Ah, até parece que a ela sabe. A Simara sabe mais do que imaginamos. Eu apenas dei meu sorriso de Monalisa. Porque de fato eu já sabia, há muito tempo! 

O que muda quando atuamos dessa forma? Transmitimos credibilidade e confiança. E isso, não tem preço! 

Um abraço, 

Simara Rodrigues

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Chefe - modo de usar



Trabalhe com alguém que goste de te escutar, mesmo quando estiver contando algo sem muita importância sobre o dia a dia e que entenda você quando precisar desabafar. Afinal, antes de tudo, você também é um ser humano.



Trabalhe com alguém que você também goste de ouvir. É fácil reconhecer a voz de quem gostamos de trabalhar; ela te transmite segurança, ao mesmo tempo em que admiração. Observe se há respeito mutuo, mesmo quando há necessidade de silêncio. 


Chefe também precisar te fazer rir, nas horas mais inesperadas, quando ele faz aquele desabafo e esquece que você é uma “dama” e secretária dele. Não há nada pior que trabalhar com uma pessoa sem espontaneidade, sem vida nos olhos. 

Trabalhe com alguém que tenha muitos defeitos, alguns extremamente irritantes, daqueles que você precisa de um final de semana para “desintoxicar” e voltar na segunda feira como se nada tivesse acontecido. Desconfie dos perfeitinhos. Mas acima de tudo, observe o caráter, antes de qualquer outra avaliação. 

Trabalhe com alguém que tenha brilho nos olhos pela vida. Que tenha paixão pelo trabalho, pela empresa e principalmente pelas pessoas. Trabalhe com alguém que não te critique gratuitamente, mas que mesmo quando necessário, a crítica seja gentil e de forma educada e que partir dessa “bronca” você sinta-se impregnado de vontade de ser alguém maior e melhor. 

Para trabalhar com alguém são necessárias algumas habilidades. Então desenvolva-as. Certifique-se que você é capaz de desempenhar todas as atividades desejadas. Siga as regras como uma receita de bolo. Certifique-se que é capaz de fazer algo que seu chefe não saiba e aprenda o que ele sabe. Nessa relação é necessário que um seja expert em números e o outro especialista em tecnologias. Essa é uma das grandes “sacadas” dessa parceria, ter uma boa equipe de dois. 

Mas afinal, como reconhecer a pessoa certa para trabalhar? Não se preocupe! Quando menos esperar reconhecerá pela voz, às 08:00 de uma manhã qualquer ou ao final de um dia estressante, tumultuado em que mesmo quando tudo conspirava contra o desfecho foi satisfatório. Secretariar tem dessas coisas!!!!

Um abraço

Simara Rodrigues

E o look da Copa?


Mesmo que o País não esteja em clima de Copa, como nos anos anteriores, faz parte da nossa cultura vibrar e torcer pelo País sempre que a seleção entra em campo. E o look? O que usar no trabalho? Já que é Copa posso trabalhar com a camisa da seleção ? Tênis? Unhas coloridas? São dúvidas que sempre surgem e é natural, afinal, somos contagiados pelo momento, apesar de todas as críticas e protestos que este Mundial vivencia. 



De qualquer maneira é importante ter em mente que o seu ambiente de trabalho, mesmo em período de Copa, exige certa formalidade. Por isso, é prudente que o bom senso prevaleça. Minha sugestão é apostar em um look sóbrio, que traga um ou duas cores da bandeira, para entrar no clima, mas sem exageros. Aposte no azul marinho, que é uma cor formal e elegante. 



Quanto as unhas e a maquiagem opte pelo clássico e evite os exageros. Excesso de brilhos e cores podem ficar para as comemorações fora do ambiente de trabalho.  


Agora, se a empresa que você trabalha pede que você literalmente vista a camisa da seleção nesse período é claro que você pode entrar no clima - com moderação! 


Alguns looks para inspirar e alguns sites interessantes para seguir:

http://alessandrafaria.com/2014/05/para-se-inspirar-portal-da-copa/
http://expedientedamoda.com
http://umanosemzara.blogspot.com.br/











"Grite, e a razão o abandonará"




Em algumas situações somos "convidados" a explodir e é nesse momento que esquecemos uma lição importante: Perde a razão quem grita primeiro. 

Na minha opinião, de todas as habilidades a mais desafiadora é a inteligência emocional. Isso porque, esta habilidade muitas vezes dependerá nosso estado de espírito, da nossa maturidade e da nossa paciência. 

Um dos ensinamentos de Sun Tzu diz que "Triunfam aqueles que sabem quando lutar e quando esperar". Por isso, diante de situações em que você sabe que perderá o controle vale a pena respirar fundo, silenciar, recuar e refletir. E só depois, passado o calor do momento, sinta-se preparado para agir. Um verdadeiro exercício de tolerância e inteligência. 

Um abraço, 

Simara Rodrigues

"O que falamos e como nos referimos aos outros constrói a nossa reputação"


O artigo abaixo traz duas considerações valiosas para o nosso dia a dia: 

1) A sabedoria que o profissional de Secretariado precisa ter e sua postura diante das diversas situações. Quem atua na área deve avaliar com muita cautela o que ouve - afinal temos acesso a todo tipo de informação - se preocupando em "filtrar" tudo que é ouvido e as consequências a partir do que é dito. Muitas vezes, silenciar é o mais sensato e o que se espera desse profissional. 

2) Quem fala demais sempre corre o risco de ser mal interpretado. E como mencionado no artigo "a língua, é um pequeno instrumento capaz de causar grandes danos aos homens." Portanto, é preciso utilizar boca e ouvidos na mesma proporção. 

Sensacional o artigo e as colocações do Professor Marco Tulio!!  

Falei o que não devia sobre meu chefe, e agora?


Por Marco Tulio Zanini responde


Trabalho há três anos no departamento de vendas de uma grande empresa. Gosto do que faço, consigo superar as metas e tiro uma boa quantia por mês em comissões e remuneração variável. Algumas semanas atrás, estava voltando para casa de metrô com uma colega de outro setor. Na ocasião, falamos despreocupadamente sobre nosso dia a dia na empresa. Como era uma conversa informal, acabei desabafando sobre problemas com meu chefe e fiz também outras críticas em tom de brincadeira. Quando me levantei para descer do trem, no entanto, percebi que no banco logo atrás estava a secretária dele. No dia seguinte, meu chefe passou a me tratar de forma ríspida. Pouco depois, ele fez uma avaliação rígida sobre meu desempenho, inclusive cobrando coisas que nunca havia cobrado. Tenho certeza de que isso está acontecendo porque a secretária contou a ele o que ouviu. O pior é que gosto dele e as coisas que eu disse eram mais para passar o tempo do que por uma insatisfação genuína. O que devo fazer?

Supervisora, 34 anos

Resposta:

A maturidade e o exercício das virtudes podem refinar o nosso comportamento. No entanto, não há um ser humano que não caia pela língua. Quando revelamos essa nossa fraqueza, o tamanho do prejuízo vai depender de cada situação. Coisas que dizemos sobre terceiros acabam abalando a nossa reputação pessoal e o julgamento que os outros fazem sobre a nossa conduta moral.

A dedução é óbvia: a pessoa que nos ouve falar mal ou comentar um aspecto negativo sobre a vida de alguém passa a se colocar na posição do ausente, imaginando que, um dia, em sua própria ausência, falaremos mal dela também. É difícil refrear a língua, e essa é uma virtude a ser cultivada. Tenho um amigo de infância que tem essa virtude. Sempre o admirei por isso. Ao longo de toda a nossa convivência de 40 anos, não me lembro de ter ouvido ele falar mal enfaticamente dos outros. Portanto, acredito também que, além do aprendizado social, é uma virtude nata.

Por outro lado, a maioria das pessoas fala mal e comenta sobre a vida alheia. Existem inúmeras advertências bíblicas sobre a maledicência, abrindo espaço para ferir a vida humana. A língua, como escreve São Tiago, é um pequeno instrumento capaz de causar grandes danos aos homens. Não há quem não tenha sido traído por suas próprias palavras. Portanto, refrear a ansiedade de falar dos outros é uma virtude a ser cultivada ao longo da vida. A fofoca, mesmo que sem grande malícia, desperdiça nossa energia vital e nos coloca em riscos como esse. Uma vez que as palavras tenham sido jogadas ao vento, não é possível catá-las de volta.

Na vida social, o que falamos e como nos referimos aos outros constrói a nossa reputação. Na medida em que as pessoas percebem que não nos dedicamos a comentar sobre a vida alheia, percebem que essas questões não têm mais relevância do que outras consideradas mais nobres. Isso faz com que percebam maturidade de nossa parte. Quando nos poupamos de falar sobre a vida alheia, canalizamos a nossa energia vital para o que interessa, e fugimos daquilo que destrói e não edifica.

A nossa sociedade, no afã de libertar os homens das amarras da religião e da tradição, acabou por nos levar a acreditar na importância da autenticidade, da fidelidade e dos próprios sentimentos, no direito a demonstrar quem somos, e destruiu as bases para a ética da virtude, tão fundamental para o exercício da ética e para a harmonia da vida em sociedade. Não há ética sem sacrifício pessoal, e hoje viramos as costas para esse exercício. Pregamos a ética para o outro, mas quase todos nós negamos o esforço e a disciplina pessoal necessária para vivê-la nós mesmos.

Lao-Tsé, filosofo chinês do século VI a.c., afirmava: aquele que domina o outro é forte. Aquele que domina a si mesmo é poderoso. O que fazer agora é um difícil exercício de diplomacia. O espelho da confiança foi arranhado. Pedir desculpas talvez não seja o caminho, pois para isso você terá que levantar suspeita sobre a secretária dele ter feito fofoca e terá que se expor demasiadamente. O caminho que vejo é buscar reconstruir os vínculos com paciência e humildade. Não custa jogar palavras ao vento no sentido oposto: - Às vezes falamos demais e nos enganamos sobre as pessoas, mas depois refletimos sobre o que dissemos e como julgamos, e percebemos como cometemos injustiças....

Marco Tulio Zanini é professor e coordenador do mestrado executivo em gestão empresarial da Fundação Getulio Vargas e consultor da Symballein

Esta coluna se propõe a responder questões relativas à carreira e a situações vividas no mundo corporativo. Ela reflete a opinião dos consultores e não do Valor Econômico. O jornal não se responsabiliza nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações. As perguntas devem ser enviadas para:

E-mail: diva.executivo@valor.com.br


Fonte:
http://www.valor.com.br/carreira/3580472/falei-o-que-nao-devia-sobre-meu-chefe-e-agora

Faça acontecer!!!


Muitas pessoas desejam o sucesso e até sonham com ele. Mas se frustam quando não alcançam ou simplesmente porque não tem.

Ocorre que desejo precisa estar alinhado com preparo e dedicação. Parece clichê  mas não conheço ninguém que tenha chegado em um determinado lugar sem "colocar a mão na massa". 


Uma coisa é certa: De uma forma ou de outra todo o tempo que dedicamos é recompensado. 

Um abraço,


quarta-feira, 11 de junho de 2014

Encontro inédito apresenta melhores práticas de Gestão Estratégica para o Secretariado Executivo

Oficinas sobre temas chave de gestão são lideradas pelos mais reconhecidos especialistas do país

São Paulo – 11/06/2014 

Não é de hoje que as empresas estão investindo em seu secretariado executivo, área cada vez mais valorizada nas organizações por seu papel essencial no suporte à liderança. E quando se fala em investir, um dos pontos que tem recebido especial atenção é o desenvolvimento e capacitação das profissionais atuantes nesta função, tendo em vista o impacto representativo que suas atividades – quando bem excercidas – trazem para o resultado da organização como um todo.

De olho nessa tendência, a Blue Ocean Business Events, reconhecida por desenvolver encontros de informação focados em gestão, organiza entre os dias 28 e 29 de Julho a SEB 2014 – Secretariado Executivo Brasil. O encontro, que é a 1ª conferência para gestão estratégica do secretariado executivo, foi organizado em oficinas sobre temas chave como Planejamento Estratégico, Liderança, Gestão do Tempo, Assertividade, Imagem Pessoal, entre diversos outros assuntos, e são lideradas por reconhecidos especialistas em cada um destes temas de destaque. Segundo André Ramos, Diretor Executivo da organizadora, “o formato destas oficinas tem por objetivo promover interação entre estas profissionais com os líderes, além de fomentar discussões entre as participantes para acelerar o aprendizado por meio da troca de experiências. É uma proposta de conferência diferenciada e que tem funcionado muito bem em outros eventos de gestão”.

Um dos temas de destaque do encontro é a oficina sobre Gestão de Pessoas, que foi organizada exatamente tendo em vista o papel de liderança que estas profissionais muitas vezes tem em suas empresas, onde precisam coordenar equipes de secretárias ou mesmo ajudar na organização do trabalho de suas áreas para dar suporte à alta gestão da empresa. Liderado por Rosangela Manfredini, que atua na área de Gestão de Pessoas da Franquia Sorridents, a oficina tratará sobre como esta condução de equipes de alta performance deve ser realizada dentro das empresas para que possa auxiliá-la a alcançar os objetivos traçados para a organização.

“Todas as oficinas do encontro foram idealizadas com o objetivo de tratar de temas essenciais para o dia a dia destas profissionais, as quais, somadas, criarão um conjunto de conhecimentos que permita melhorias visíveis no trabalho de quem participa deste encontro”, diz André. Segundo ele, “o evento tem por meta, em última análise, apresentar as melhores práticas de gestão estratégica no secretariado executivo para que as participantes tenham plenas condições de, após o evento, aplicar o aprendizado adquirido em suas empresas. Daí o empenho e foco tão grande no aprendizado prático que este evento pode promover.”, finaliza André.

Serviço

O que? SEB 2014 – 1ª Conferência de Gestão Estratégica para o Secretariado Executivo

Quando? 28 e 29 de Julho de 2014

Onde? São Paulo Center – São Paulo, SP

Informações e Inscrições: (11) 3266-3591 contato@blueoceanevents.com.br



 "Secretariar é uma Arte" está apoiando a SEB 2014! Você, que é nosso leitor tem condições especiais para se inscrever! Garanta presença na 1ª Conferência de Gestão Estratégica para o Secretariado Executivo com esse desconto especial. 

Conheça a programação completa no http://goo.gl/j2QG7m 




terça-feira, 10 de junho de 2014

Não há atalhos


Outro dia, conversando com um aluno, durante o intervalo, ele comentou que seu chefe gostaria de capacitar os Secretários que atuam no Órgão em que ele faz estágio. Segundo ele, todos os profissionais que desenvolvem as atividades secretariais naquele Órgão não possuem formação específica em Secretariado e poucos têm formação superior. Nesse sentido, o Gestor questionou acerca da possibilidade de realizar um curso de capacitação com esses profissionais, mas que seja “Um curso rápido” finalizou. 

De forma muito bem humorada respondi ao meu aluno: 

Esse problema está fácil de resolver. Diga a ele que a única alternativa é que esses profissionais ingressem em um curso técnico ou superior de Secretariado e obtenham registro profissional. Essa é a única forma de atuar na área. Posteriormente informe a ele que existe uma Lei, sancionada pelo Presidente da República, que regulamenta e dispõe sobre o exercício da Profissão. E como é nosso papel facilitar, encaminhe a referida Lei para seu conhecimento. 

A regra é muito simples! Não há atalhos. 

Não se trata de um discurso daquelas pessoas “bitoladas”. Mas precisamos nos conscientizar que é nosso papel elucidar a quem possa interessar acerca da atuação na área de Secretariado Executivo. Essa responsabilidade não deve ser delegada única e exclusivamente as entidades que nos representam. E só teremos condições de contribuir com esses esclarecimentos se tivermos conhecimento e embasamento teórico. Por isso, tão importante como a prática e as habilidades inerentes ao cargo é o SABER. 

Alguns links relacionados: 




segunda-feira, 9 de junho de 2014

O idiota e a moeda por Arnaldo Jabor

Vale a pena refletir a respeito! 



Conta-se que numa cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas. 

Diariamente eles chamavam o idiota ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: uma grande de 400 REIS e outra menor, de 2.000 REIS. Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos. 

Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos. 

"Eu sei" - respondeu o tolo assim: 
"Ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda."

Pode-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa. 

A primeira: Quem parece idiota, nem sempre é. 
A segunda: Quais eram os verdadeiros idiotas da história? 
A terceira: Se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda.

Mas a conclusão mais interessante é: 

A percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.

Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim, quem realmente somos.

"O maior prazer de uma pessoa inteligente é bancar o idiota, diante de um idiota que banca o inteligente".

Por Arnaldo Jabor 

domingo, 8 de junho de 2014

Use as cores a seu favor

O Presidente da empresa estará no escritório com todos os conselheiros e convidados externos. Qual a melhor roupa para essa situação? Você participará de um evento corporativo e não quer fazer feio. Que roupa escolher? 

Acredito que não seja a única a viver esse dilema e por isso achei interessante o artigo publicado na Exame sobre o tema, que traz algumas dicas para que a nossa imagem seja positiva em diferentes situações. Afinal, você nunca terá uma segunda chance de causa uma 1a boa impressão!

Leia abaixo - vale a pena acessar a matéria no site e visualizar as sugestões de look!




Não é novidade que publicitários lançam mão de estratégias para o uso de cores nas embalagens dos produtos e anúncios, muito menos que decoradores e arquitetos usem as cores a seu favor na construção de ambientes. O mesmo se aplica aos consultores de imagem, explica Ana Vaz, especialista em análise de cores pela First Impressions Image Consulting. De acordo com ela, a roupa de um profissional pode trabalhar a favor ou contra a imagem que ele deseja transmitir.

Por isso, ela dá dicas a executivos e candidatos a oportunidades profissionais para que eles consigam mostram seus valores e qualidade, e disfarçar seus defeitos, a partir da aparência e cores das roupas. Confira os conselhos da especialista para 8 situações de carreira:

1. Na entrevista de emprego

A ideia é transmitir seriedade, credibilidade e formalidade. “Cores escuras, como azul marinho, preto, marrom, vinho e verde-musgo, passam essa ideia de seriedade. Na publicidade, por exemplo, quando o objetivo é reforçar a solidez do produto, a cor escura é o primeiro elemento”, diz Ana Vaz.

Linhas retas e tecidos mais estruturados também ajudam a reforçar estas características. “O tubinho preto é tradução do terno para as mulheres”, explica Ana. 

No entanto, exagerar no visual escuro não é indicado. Por isso, a dica é mesclar com tons mais suaves. A camisa mais clara, na foto, faz esse papel de dosagem para que o negativo não se sobreponha.

2. Reunião descontraída ou brainstorm

Em situações deste tipo, o ideal é apostar em cores mais claras. “Bege, rosa, amarelo e azul-céu dão o tom de proximidade, leveza e descontração”, diz Ana. Por exemplo, os ternos masculinos de cor clara são mais indicados para as situações mais informais.

Para evitar exageros, aposte na mistura com cores escuras ou mais vivas, se quiser dar uma ideia de impetuosidade e fugir da imagem de fragilidade. Na foto, por exemplo, o casaco azul marinho é o elemento que dá o equilíbrio.

“A pessoa pode brincar com as formas, também. Uma coisa é escolher uma blusa mais arredondada com botões de pérola, outra coisa é apostar em um blaser coordenado com uma calça de alfaiataria”, diz Ana.

3. Para tomar decisões

A racionalidade que uma tomada de decisões no ambiente de trabalho pede é estimulada pelas cores frias. Azuis, verdes azulados (como o verde-esmeralda), cinza e roxo passam essa mensagem, segundo a especialista. “As cores frias são aquelas que têm bastante azul na composição”, diz.

Para as mulheres, a maquiagem pode fazer a contraposição. “Batom no tom coral pode quebrar um pouco a ideia de frieza”, diz. Mas se a ideia é mesmo impor distância, combine com cores escuras.

4. Reunião tensa ou com chefe difícil

Cores foscas e suaves são uma boa alternativa para encarar um chefe difícil ou uma reunião complicada. “O tom opaco é ligado à imagem adulta, traz o símbolo do comprometimento e intelectualidade”, diz Ana.

Azul acinzentado, bege, tons de vinho mais esfumaçados e verde-musgo são as indicações da especialista porque reúnem a imagem de prudência, discrição, paz, equilíbrio, acolhimento, introspecção e maturidade.

5. Para ter bom humor e coragem e estimular a criatividade

Aposte na força das cores vivas. Vermelho, turquesa, pink e amarelo-ouro projetam casualidade, ousadia e criatividade. “A gente nasce amando as cores vivas, elas são instigantes, divertidas e não são monótonas”, diz Ana.

De acordo com ela, são cores atreladas à infância e adolescência. “Por isso podem dar a ideia de cores pouco sofisticadas e infantis”, diz ela. Por isso, use algumas peças e evite ser visto como incoerente ou impulsivo, efeitos negativos dessas cores.

Mesclar cores vivas com bege, cinza, ou verde-militar são alternativas ao uso do preto, desaconselhado pela especialista.
Para os homens que estão em ambiente muito tradicional, ela indica uma gravata vermelha, por exemplo.

Para ter mais energia 

Cores quentes como amarelo e laranja são ótimas “energizadoras”. Elas reforçam as habilidades de se relacionar com o outro, os níveis mais altos de energia e a capacidade de tomada de decisões rápidas.

Tons avermelhados e terrosos também são indicações da especialista. Caso o ambiente seja mais tradicional, troque o laranja por erracota ou o amarelo pelo mostarda. “Também vão dar a ideia de acolhimento”, diz Ana. 

Para ganhar a atenção e se aproximar de um cliente 

Ao mesmo tempo em que o objetivo é transmitir credibilidade, quando o encontro é com um cliente, é essencial dar a sensação de proximidade também. “Há cores que por si só geram simpatia”, diz Ana. Tons claros de rosa, lilás, salmão dão o toque de delicadeza e gentileza a um visual mais sóbrio, com terno ou tailleur mais escuros, por exemplo.

Em uma apresentação 

A última coisa que um profissional que está fazendo uma apresentação quer é que a plateia preste mais atenção na sua roupa do que na sua fala. “Uma cor muito viva pode servir como ruído na comunicação porque compete pela atenção, diz Ana. A dica é optar por cores mais opacas. “Que não seja muito acesa, pode, por exemplo ser um rosa queimado, azul anil e marinho”, diz Ana.


Fonte

http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/como-usar-as-cores-a-seu-favor-em-8-situacoes-de-carreira?p=1

É possível ficar um ano sem consumir nenhuma peça de roupa ou acessório?



Em fevereiro de 2013 li uma reportagem na revista você S.A que foi um divisor de águas na minha vida. Forte isso, não? Mas foi exatamente o que aconteceu. A matéria apresentou uma entrevista com a publicitária Joana Moura que conseguiu, em seis meses, mudar o status de consumidora compulsiva para poupadora: ela organizou o guarda-roupa, recombinou peças e criou o blog Um Ano Sem Zara, no qual compartilhou dia a dia do seu drama com os leitores.

A partir do artigo, resolvi analisar o meu guarda-roupa. E o primeiro sentimento foi de ressaca moral pois havia roupa com etiqueta há meses. Sapatos que não tinham sido usados uma única vez, caixas de cintos, bijuterias, bolsas e mais bolsas. Me senti complemente fútil e foi em abril do mesmo ano que resolvi seguir a risca o que a blogueira fez – Um ano sem comprar nada, absolutamente nada. Ironicamente, escolhi o dia 01 de abril de 2013 – E quem me conhece dizia que esse desafio era piada. 

A sensação, nos primeiros meses é de “desintoxicação”, mas com o tempo você passa a sentir um alívio por não precisar entrar em casa com peças escondidas na bolsa, no envelope ou subir cada dia com uma sacola. E o mais hilário é que as vezes você nem precisa esconder de ninguém.  Com o tempo você vai descobrindo peças lindas do seu próprio guarda-roupa que não dava "tempo de usar". 

Estamos em junho de 2014 e a promessa foi devidamente cumprida, afinal, promessa é dívida! Na verdade estou com “créditos” pois, pasmem, não sinto vontade de comprar nada e cada vez que olho meu guarda-roupa, percebo que, apesar dos 365 dias, ainda não deu tempo de usar tudo que tenho.  

Mas para conseguir bater minha meta precisei adotar algumas estratégias - conhece-as:

Faça perguntas para si mesmo: Seja questionador e avalie a real necessidade em consumir determinada peça. É realmente necessário aquela bota com franjas da nova coleção?

Acompanhe site de moda – Você não precisa gostar ou conhecer sobre moda. Você só precisa conhecer quem entende. E isso vale para os sites e blogs de moda, que são ótimas inspirações. Não faltam opções: Facebook, instagram, youtube etc. Não fiquei "bitolada" com isso, apenas comecei a perceber que com as minhas roupas eu conseguia montar vários looks. 

Consumo como compensação – TPM, coração partido, trabalho ruim, seja qual for a frustração não vale a pena “descarregar” nas compras e é aí que mora o perigo. Por isso, nesses períodos, evite ir ao shopping!

Separar os look com antecedência – acordar para trabalhar e só então pensar no look é a pior coisa a se fazer. Porque geralmente você escolherá a 1ª peça que vier na frente. Com isso, tem-se a impressão de não ter roupas. Reserve um tempo para escolher seu look, seja na noite anterior ou no final de semana. A estratégia funcionou tanto no meu caso que atualmente escolho todas as roupas da semana no domingo. É um momento meu, que curto cada peça, cada detalhe e o melhor sem stress. A semana começa com outra energia. Você descobre que tem tanta peça e que pode combina-las com tantas outras. Enfim, é muito divertido!

Valorize cada peça – Sabe aquele casaquinho sem graça da coleção de 2011 que você  acha que não combina com nada? já pensou em jogar uma camisa bem sofisticada ou um acessório fashion e “quebrar o gelo”? E aquela saia que você comprou na liquidação de 2012? Acredite, dá para usar na nova estação sem medo de ser feliz. 

Aposte nos lenços - Dependendo do seu estilo e perfil os lenços serão como uma carta coringa. Eles combinam com tudo. Desde o jeans com camisa branca ao pretinho básico.

Quando você fica 365 dias sem consumir não há outra alternativa que não seja usar a criatividade.

Há quem diga que substituí o consumo de roupas e acessórios por livros, mas isso é assunto para outro post.

Um abraço,

Simara Rodrigues

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Sempre é possível melhorar!




O aprender, desaprender e reaprender é indubitavelmente uma dádiva!
Nada mais destrutivo para uma mente humana que a certeza do saber absoluto. Por isso, essa pretensão torna-se um dos maiores limitadores para o indivíduo.  

Sabe aquele olhar que diz:

“Eu já sei fazer isso”
“Eu faço isso há anos”
“Eu não preciso aprender sobre isso porque eu faço muito melhor”
"Que preguiça desse assunto" 
“Nem vou prestar atenção no que você está falando, porque sobre esse assunto eu já sei”.

Quando saímos do pedestal, criado única e exclusivamente por nós, somos capazes de feitos ainda maiores. A habilidade de aprender, desaprender e reaprender sempre nos permite novos voos e novas descobertas. Por isso, permita-se ouvir o outro - suas considerações -  e a partir daí crie suas conclusões. Afinal, sempre é possível melhorar!! 

Que me perdoem os “sabe tudo” de plantão, mas nem sempre sabemos o quanto acreditamos saber. Há quem diga que o nome dessa “síndrome” é autoengano. 

Um abraço, 

Simara Rodrigues