segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A arte de se relacionar



Já ouviu falar no GG (Gene da Gentileza)? A revista Isto é publicou neste mês de janeiro matéria sobre o tema e a importância da nova tendência para este Século: A Arte de se relacionar.

De acordo com o artigo e pesquisa realizada pela Universidade de Toronto, no Canadá, alguns felizardos já nascem com esse gene, porém, nada impede que aqueles que não possuem o tal gene não consigam alcançar e/ou manter o sucesso na vida pessoal e profissional.

A pesquisa apresenta seis habilidades fundamentais para compor a nova teoria da inteligência social, que são elas:

Comunicação – Como sendo o principio de uma boa relação;

Empatia – ato de compaixão, ou seja, é se colocar no lugar da outra pessoa;

Comunicação não verbal – são as expressões corporais, considerando que o corpo “fala”;

Assertividade – é a maneira de se expressar de forma clara, direta e objetiva;

Feedback – é a capacidade de dar e receber retornos positivos e negativos;

Autoapresentação – É a famosa: Primeira impressão – ou seja, Boa aparência é fundamental.

A revista afirma que a inteligência social, está atenta à forma como o indivíduo ocupa seu espaço nos ambientes coletivos. E propõe uma verdadeira ginástica psicológica para exercitar habilidades atrofiadas de convivência.

Em um dos trechos da matéria o artigo informa que “em pesquisa feita com 46 mil executivos brasileiros pelo Grupo Catho identificou que entre os principais fatores na contratação de um funcionário estão o desempenho dele na entrevista e suas competências comportamentais (curiosidade: fluência em inglês ficou na lanterninha). Segundo Regiane Chaves, responsável pelo recrutamento da indústria de alimentos Nestlé, as competências comportamentais representam de 70% a 80% do que sua equipe avalia durante o processo seletivo. “As habilidades técnicas estão no currículo e são sempre mais fáceis de desenvolver posteriormente; já as comportamentais são mais difíceis”,

Abaixo, o link com a íntegra da matéria:

http://www.istoe.com.br/reportagens/paginar/185664_A+ARTE+DE+SE+RELACIONAR/1

Fonte: Revista Isto é, 11 Jan/2012 - ano 36 n.º 2200

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Tatuagem ainda é um tabu no ambiente corporativo



Na edição 163 da revista Você S.A. foi publicado um assunto que por muitas vezes discuto em sala de aula: Afinal, a Tatuagem ainda é um tabu no mundo corporativo?

A revista ouviu Diretores de 39 empresas de RH, de diversos setores, e alguns dados da pesquisas chamam a atenção.

Para esses diretores as empresas não veem problema algum na contratação de pessoas com tatuagem, porém, é importante observar o local a ser escolhido, e necessário acima de tudo o uso do bom senso na hora de expor a tatuagem, principalmente quanto há contato com o cliente.

De acordo com a matéria, tatuagens no rosto, mão, pescoço, braços e pernas são alguns dos locais que podem prejudicar o candidato:

Tatuagem no braço: Deve ser evitada – Segundo 37% dos RHs

Tatuagem no antebraço: 44% acreditam que não é um bom lugar

Tatuagem na mão: 89% dos Diretores de RH são bem claros: DE JEITO NENHUM

Tatuagem na orelha: embora um lugar discreto 22% dos entrevistados afirmam que não é um lugar ideal

Tatuagem no pulso: 48% não aprovam como sendo um lugar legal

Tatuagem na Panturrilha: apesar de ser um local escondido, 19% acham que também não é um bom lugar para tatuar

“Ok, então onde posso fazer uma tatuagem?”, as empresas de RH afirmam não se importar com tatuagens na canela, tornozelo, lombar, ombro e costas.

Então, se você é desses que está preocupado com a percepção das empresas, fica a dica!

Fonte: Revista Você S.A - ed. 163, paginas 78 e 79.