segunda-feira, 7 de novembro de 2011

O Capital humano e o Profissional de Secretariado Executivo


Tenho tido o privilégio de acompanhar o crescimento e a valorização de uma profissão que para muitos não passaria de um mero "apoio" às Instituições, cujo ápice das atividades seria auxiliar no bom andamento das atividades de rotina.


É indiscutível a importância do profissional de Secretariado às Organizações. Entendo que o momento já não é de avaliar se temos ou não capacidade para gerenciar, administrar, planejar, assessorar ou desenvolver consultorias. O momento, sem dúvida, é de questionar o que mais somos capazes de fazer e como podemos continuar contribuindo para os processos da empresa.

Faço parte de uma geração de Secretárias e Secretários que em meio a tantas mudanças fizeram a diferença em seus mais variados segmentos. Cada um se destacando com habilidades tão fundamentais e muitas vezes pouco observadas. Num momento em que habilidades técnicas e pessoais são de extrema importância mostramos para que viemos.

Deixamos de ter um cargo, para ter uma profissão e mesmo sem o tão esperado Conselho assumimos nossas habilidades e seguimos adiante.

Fazer uma retrospectiva da profissão é entender que o mercado não só abriu as portas para que pudéssemos fazer a diferença, como acreditou em nosso potencial.

Acredito que estamos vivendo um momento mágico em que há um envolvimento do profissional nas questões relacionadas a profissão. Isso, só reforça nossa importância no mercado e retifica tantas previsões incertas.

É fato que alguns profissionais de Secretariado, infelizmente, ainda desconhecem a história do Secretariado, a Lei que regulamenta a profissão e tantas outras informações fundamentais para o melhor entendimento da profissão. Por isso, o momento é de valorização do capital humano (o que você sabe).

Não tenho dúvidas que o Secretariado estará entre as profissões do futuro.

Secretariar é fácil? Todo mundo consegue fazer o que um secretário faz?

Então te desafio a Secretariar, desempenhando todas as atribuições que o cargo exige. Feito isso, voltamos a tratar o tema.

Boa Semana!

Nenhum comentário:

Postar um comentário