quinta-feira, 19 de maio de 2011

Saiu na Harvard Business Review - Os melhores Secretários Executivos são Indispensáveis




Bem interessante a matéria publicada no site da Harvard Business Review.

Parte do artigo diz:

Os melhores Secretários Executivos são indispensáveis. A Microsoft nunca vai desenvolver um software que possa acalmar um gerente de vendas histérico, evitar um e-mail mal formulado, acalmar os ânimos de um cliente, e resolver problemas eminentes, tudo dentro de uma hora, e tudo isto sem interromper o gerente a quem esses problemas poderiam ter provocado uma distração.

Secretários Executivos são solucionadores de problemas, tradutores, atendentes, diplomatas, bancos de dados humanos, consultores de viagem, os psicólogos amadores, e os embaixadores para o mundo interior e exterior.

Leiam a integra - Vale a pena   http://hbr.org/2011/05/the-case-for-executive-assistants/ar/1

Secretariar é uma arte!!!


Em 2010 fui entrevistada pelo 6o semestre do curso de  Secretariado Executivo da União Pioneira de Integração Social - UPIS. A ideia era publicar uma revista, com uma série de assuntos pertinentes a profissão.

SE - O que a incentivou a ser uma secretária executiva?

SR - Na verdade, em 1999, quando decidi prestar vestibular não fazia ideia do que gostaria de fazer. A indicação de algumas amigas quanto ao curso de Secretariado Executivo e as oportunidades disponíveis no mercado, à época, foram fatores que contribuíram para minha escolha. Alguns meses após ingressar na faculdade, já estagiando na área, não só me identifiquei com o curso, mas descobri que se tratava de vocação.

SE - O que fazer para ser bem sucedido nesta profissão?

SR - Embora não haja uma fórmula para o sucesso, comprometimento, dedicação, iniciativa, afinidade com a profissão e simpatia são fatores que considero importantes nessa jornada.

SE – O que a deixa insatisfeita na profissão?

SR - A falta de reconhecimento da profissão por algumas pessoas é algo que me entristece, mas ao mesmo tempo me motiva.

SE – Atualmente, qual a média salarial de um secretário executivo?

SR - Isso é muito relativo. Vai depender de uma série de fatores como, por exemplo, a cidade e o setor de atuação. De acordo com a FenaSec, o salário do Profissional de Secretariado Executivo pode variar entre R$ 800,00 e R$ 8.000, o que não acredito ser uma regra, mas apenas um estudo de mercado.

SE – Como é a sua relação com os chefes?

SR - É uma relação positiva, objetiva e séria. Procuro separar os aspectos pessoais dos profissionais.

SE – Qual a importância de fazer uma graduação?

SR - Possuir uma graduação, atualmente, faz toda a diferença. Entendo como sendo um pré-requisito.

SE – Que tipos de incentivo recebeu para chegar onde está?

SR - Tive e tenho incentivo não só dos meus chefes, mas de muitos colegas de trabalho. Receber feedback de algumas ações, faz, com certeza, toda a diferença.

SE – Sente-se uma profissional realizada?

SR - Completamente. Há uma frase que gosto muito do Anthony Robbins: “Dizem que sou um cara de sorte. Só sei que quanto mais me esforço, mais sorte tenho”. Analisando minha trajetória profissional posso afirmar que nada veio por acaso, tudo foi baseado em muita determinação e dedicação e o que é mais gratificante é olhar para trás e saber que valeu e tem valido a pena. Considero-me uma pessoa privilegiada por fazer o que me agrada.

SE – O que poderia ser feito para melhorar o quadro da profissão no País?

SR - Tudo é uma questão de interesse. Ao ingressar no curso de Secretariado, o profissional tem a oportunidade de conhecer várias áreas de atuação. Durante a graduação, é possível aprender temas relacionados a Economia, Administração, Psicologia, Relações Públicas, etc. Porém essas informações não terão qualquer validade se o profissional não tiver interesse. Não adianta o professor querer compartilhar conhecimento se o aluno, futuro profissional que estará no mercado disputando uma vaga com dezenas de outros candidatos, não tiver interesse em se aperfeiçoar.

SE - Para quem está entrando do mercado, qual a sugestão você deixa?

SR - O mercado está muito mais exigente. Se antes ter boa aparência era o diferencial, hoje ser comunicativo, dinâmico, atualizado e comprometido é o que faz a diferença. As Instituições tem nos dado grandes oportunidades e tem valorizado nossa profissão. O que precisamos fazer é mostrar nosso potencial.

SE – Que conselhos dá aos estudantes e profissionais da área?

SR - Não desanimem diante daqueles que desconhecem nossa capacidade de contribuição. Afinal, ser intuitiva, proativa, criativa, discreta, gestora de conflitos, gestora administrativa e financeira, ouvinte, confidente, entre outras, não é nada fácil. Secretariar, sem sombra de dúvida, é uma arte, e esta multifuncionalidade é o nosso maior diferencial. Especializem-se, dominem outro idioma, leiam, atualizem-se, estejam abertos a novos desafios, não tenham medo de errar e, o mais importante, procurem a excelência no serviço prestado diariamente. MOTIVEM-SE e Boa sorte!!!

 
Brasília, julho de 2010 - Dep. de Secretariado Executivo - UPIS

Mais link interessante...

Pessoal,
compartilho dois links que espero sejam uteis!

Boa noite!!!

Baixar vídeos do youtube: http://atube-catcher.dsnetwb.com/video/
Download de livros: http://www.4shared.com/network/search.jsp

quinta-feira, 5 de maio de 2011

A regra dos 5%

Como ninguém é ferro, bateu uma breve e rápida desmotivação...mas como um presente de Deus, lembrei de um artigo do Max Gehringer, o qual compartilho abaixo, e que fez toda a diferença....


Espero conseguir atingir os 5%....

Eu hoje me lembrei de uma dessas estatísticas baseadas mais no bom senso do que na técnica: a regrinha dos 5%.

Segundo essa regra, de tudo o que nós escutamos, vemos, falamos, lemos ou escrevemos todos os dias, só 5% realmente interessam. O resto é descartável. Da mesma forma, de cada 100 estagiários contratados por empresas, só 5 chegarão a cargos de chefia. De cada 100 pequenos negócios que são abertos, só 5 se transformarão no sucesso que o dono sonhava. De cada 100 bons alunos, só 5 repetirão na vida profissional o excelente desempenho que tiveram na escola.

A mesma regra vale para o trabalho. Se nós passamos 40 horas por semana em uma empresa, só durante 5% desse tempo, ou 2 horas, estaremos fazendo alguma coisa, pela qual poderemos ser lembrados daqui a algum tempo. As outras 38 horas serão gastas em trabalho de rotina, em reuniões, em conversas ao telefone ou em bate-papos sem importância.

Um teste que eu fazia comigo mesmo era me perguntar como eu tinha gasto as minhas 2 horas de criatividade na semana anterior. E no mais das vezes, eu descobria que tinha sido simplesmente engolido pela rotina.

Essa lição, dos 5%, eu devo ao meu saudoso professor Vantuil. Certa vez, durante uma daquelas algazarras incontroláveis em classe, o professor Vantuil, calmamente, disse que os 95% de alunos que quisessem persistir na bagunça, poderiam continuar a vontade, porque ele estava interessado em dar aula apenas para os 5%, que iriam ser alguma coisa na vida. E a classe, imediatamente, ficou em silêncio. Porque todo mundo, sempre se considera parte dos 5% que vão dar certo.

Não sei se a lição do professor Vantuil funcionou no meu caso, mas certamente funcionou no caso do professor Vantuil. Porque eu devo ter tido uns 100 professores na vida, e ele é um dos 5 que eu ainda me lembro.

Max Gehringer, para CBN.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Site para download de alguns livros interessantes


Compartilho abaixo link para download de alguns livros interessantes tais como: O monge e o executivo, O lado oculto e ineperado de tudo que nos afeta, os 7 hábitos das pessoas muito eficazes, O principe, etc...

Basta inserir o titulo da obra ou o nome do autor.

http://www.4shared.com/network/search.jsp