quarta-feira, 9 de junho de 2010

Executivos Jurássicos???


Você é contemporâneo?


Há dois anos tive o prazer de interagir com Washington Olivetto na gravação de um programa de TV que eu apresentava. Para minha surpresa, um dos mais geniais publicitários do mundo não tem sala. Sua mesa fica no meio de um espaço enorme, sua secretária tem a mesa quase em frente à dele e outras áreas da empresa funcionam ao seu lado. Sem firulas: Ele está ali, disponível a todos os funcionários, fornecedores e parceiros de sua agência.

Essa prática é antiga no Bradesco. Faz anos que todos, do presidente ao diretor, trabalham em uma mesma sala. E estes são alguns dos exemplos de empresas que pregam – e praticam – transparência, simplicidade e modernidade em suas ações. Participei recentemente do processo de preparação de um grupo empresarial para a mudança física da companhia e soube que muitos funcionários estavam ressentidos por perderem suas salas e terem de aprender a dividir o espaço na nova sede.

Conheço executivos que ainda hoje dependem das secretárias para responder ao e-mail de um amigo. Ser analfabeto digital nos dias de hoje é tão impensável quanto não ter consciência sobre problemas climáticos que acontecem em nosso planeta.

Outros tantos seguem de olhos fechados à modernidade, sobrecarregando secretárias e demais subordinados com funções que deveriam ser cumpridas por eles mesmos. Por exemplo, contas e compras pessoais, solução de problemas domésticos – quem não tem competência para gerenciar sua própria vida não terá validada sua competência para gerenciar pessoas. Se esse tipo de executivo acha que pode usar um profissional pago pela empresa para cuidar de suas próprias coisas, não terá autoridade para reclamar de um membro da equipe que também faz uso de coisas da companhia em proveito próprio.

A bolsa da moda, o carro do ano e a gravata absolutamente up to date não tornam as pessoas mais modernas – somente ressaltam o quão jurássicas elas são! Assim, sugiro a todas elas que mudem rapidamente. Ou o mundo corporativo vai tratar de aposentar essas pessoas antes do tempo e de forma compulsória.

FONTE: (Célia Leão – Artigo publicado na Revista Você S.A. ED. 143 – Maio/2010.)

Utopia????

Um comentário: